View Blog 178
View Blog 178

26 anos de experiência: Conheça Marco Prado, uma lenda do mercado!

Marco Prado passou pelo pregão viva voz, é um trader consistente, e hoje acumula 26 anos de experiência no mercado. Mas percorreu um caminho longo e rico de aprendizados. 

Curioso? Então acompanha como ele evoluiu para operador de pregão e como hoje se tornou um Trader de Alta Performance, com uma carga de conhecimento enorme, permanecendo esse cara humilde que é.

O Começo de Kim

Marco Prado, o Kim, deixa claro que seu começo foi uma oportunidade de trabalho, e que ele não sabia muito sobre o mercado financeiro na época. 

“Não tinha ideia antes de como era o mercado, comecei como auxiliar de pregão. Depois disso, a corretora precisava de um operador de luxo, e eu tinha o perfil. Depois que eu conheci esse mundo, vi que me identificava muito com o pregão viva voz” diz.

O aprendizado dele era constante. “Eram 300 pessoas em cada roda de pregão, ou seja, 300 professores” fala. Depois de 6 anos, Kim virou scalper, mas o dinheiro ainda era curto. “A maior dificuldade era não perder. Consegui conduzir essa fase bem; nessa época, eu não tinha qualidade de vida nenhuma. Trabalhava de segunda a sexta o dia inteiro, e no final de semana descansava um pouco. Minha energia sempre foi toda para o mercado” lembra.

Além do Mercado

Foi quando Kim virou operador que começou a entender de fato a dinâmica do mercado. Ele também conta que aprendeu muito sobre as pessoas em si. “A escola é única. Além de você aprender como o mercado se comporta, você ganha uma vasta experiência em comportamento humano. O que eu fazia normalmente era tirar características boas das pessoas para adicionar isso no meu perfil e cuidar com as ruins para não repetir os mesmos erros” lembra.

Além disso, ele alerta para algo que serve principalmente para quem está começando: a dificuldade que as pessoas têm em se conhecer, e encontrar o próprio perfil no mercado. Isso é fundamental se você deseja buscar a consistência. Além do fato de que querer  mergulhar nesse mundo somente pelo estilo de vida, sem estar disposto a aprender, acontece muito e é totalmente o que você precisa fugir.

“Ninguém me pegou pela mão e me conduziu, aprendi porque tive força de vontade. Quando a gente acha que deve idolatrar alguém porque essa pessoa possui bons resultados, lembre que são apenas meros mortais”. fala. Foi um aprendizado de como se inspirar nos mais experientes, mas sem perder jamais a própria essência.

O emocional na hora das operações 

Todos sabemos que a parte emocional é muito discutida quando falamos principalmente de day trade. E Kim comentou sobre logo após começar a contar sobre sua experiência em todos esses anos. Ele acredita que, hoje em dia, se atribui muito das operações à parte emocional, mais do que se deveria; Sendo uma irresponsabilidade com o próprio mercado. 

“Existem alguns problemas hoje que eu consigo observar. O primeiro é que as pessoas não levam a sério essa profissão. Nos Estados Unidos há mais respeito, por exemplo, e é um país em que investir em ações é muito mais comum do que aqui no Brasil. Assim, eles conseguem muito mais liquidez que nós. Aqui você possui um mercado onde as pessoas não entendem muito bem o que é preciso para começar e educadores colocando muito a culpa no emocional” diz.

Kim ainda comenta: “Quando se é especialista em alguma técnica, você melhora sua parte emocional. A carga deixa de ser 80% emocional e passa a ser 50/50”.

E ele nunca deixou de operar. “Teve altos e baixos, mas sempre consegui lidar e me preparar em dias bem difíceis” fala. Isso se deve muito à sua escola. O pregão viva voz deu essa consistência à ele.

O atual mercado

“Essa profissão é maravilhosa, mas ainda é uma profissão” diz. Ele fez essa afirmação e logo depois conta que conhece poucas pessoas que vivem somente de mercado hoje, e o quão difícil é entender que precisa haver um tempo de maturação e uma boa programação financeira. 

“Tenho aversão a forma como o mercado está sendo conduzido hoje, mas eu também sei que temos que entender que essas pessoas se comunicam de outra maneira. O mercado mudou, da mesma forma que mudou a maneira como o pessoal se relaciona. Falta sensibilidade nas pessoas. A fase mais difícil foi quando tudo virou eletrônico” afirmou.

Trabalhar perto da equipe dele, na mesma sala, lado a lado, ajuda a resgatar um pouco daquele tempo do pregão viva voz.

“Procure pessoas que fazem as mesmas coisas para trocar experiências e busque a essência da pessoa que já está a bastante tempo nessa área” disse.

Como a Nelogica foi essencial

“Eu usava outra plataforma, e fui convidado a usar o Profit em 2007. Ele sempre foi leve e me habituei rápido. Depois disso, nunca mais pensei em usar outra” fala. Kim sempre valorizou muito as relações que conseguiu nutrir em todo seu caminho, e encontrou esse sentimento também dentro da Nelogica. 

“Eu sempre tive um relacionamento ótimo com todos na empresa, e para mim, o Profit é mais que uma plataforma, e a Nelogica é um lugar de amigos” contou.

Kim comentou sobre algo que notamos de longe que faz parte da característica dele “O maior aprendizado que eu tirei dentro do mercado foi ser humilde sempre. A pessoa que não é humilde não têm espaço aqui” afirma.

“Essa é a melhor profissão do mundo!”

Gostou e quer conhecer mais sobre o Marco Prado e entender seu operacional? Então assista ao seu episódio na Websérie Traders de Alta Performance