5 formas de controlar suas emoções no mercado financeiro
5 formas de controlar suas emoções no mercado financeiro

5 formas de controlar suas emoções no mercado financeiro

O sucesso no mercado financeiro passa por 80% de controle emocional e 20% das técnicas que você decide adotar. É preciso ter consciência que seus lucros e prejuízos remetem somente a você, sendo o único que têm responsabilidades sobre eles.

Operar é mais um desafio mental do que qualquer outra coisa. Como vencer nesse mundo? Nesse artigo reunimos as 5 formas mais importantes de controlar suas emoções em uma operação. Leia a seguir:

Operar é um exercício mental

O ambiente do mercado financeiro oferece possibilidades ilimitadas combinadas com flexibilidade de horário, diferente da vida padrão que você provavelmente está acostumado.

Apenas 10% das pessoas que operam no mercado possuem uma curva de lucro consistente. A maior diferença desse grupo menor para o dos 90%, é que esse grupo restrito sabe que, independente da análise e abordagem usada, o estilo de operação precisa se basear acima de tudo em disciplina mental.

Se os movimentos do mercado parecem misteriosos para você, é porque seus próprios movimentos são misteriosos. Você não pode tentar prevê-lo se nem você sabe o que fará. Para conhecer o mercado, conheça a si mesmo primeiro.

Operar envolve a tríade inquestionável: controle emocional, autodisciplina e habilidade de se adequar em função do ambiente, ou seja, aprender a se reajustar. Lembre que o mercado está sempre certo! Quem cria as experiências nele é você mesmo. Portanto, assuma responsabilidade por seus ganhos e suas perdas.

Com base nisso, você deve estar se perguntando como conseguir controlar suas emoções e usá-las ao seu favor nas suas operações, correto? A seguir, descubra as 5 melhores formas de fazer isso:

1. Estabeleça um planejamento e mantenha o foco

Já falamos que apenas 10% dos que entram operando conseguem uma certa constância e não são expulsos do mercado. Isso se dá muito porque o típico operador evita ao máximo definir regras para ele próprio, porque isso significa tomar responsabilidade total pelas suas operações.

Esses players esquecem – ou nem pararam para pensar –  que o mercado é um ambiente imprevisível e financeiramente ilimitado, e para sobreviver nele, é essencial que regras sejam criadas e seguidas à risca.

Defina seu plano de ação. O primeiro passo é pensar nas perguntas que você precisa fazer a si mesmo, como:

  • Que tipo de mercado você vai operar?

Conheça todas as possibilidades de mercados que você pode atuar e escolha um de acordo com seu estilo de atuação.

  • Em que horários você vai decidir operar?

Procure horários com maior liquidez no mercado. Isso serve para melhorar a otimização em operações e para que você não se desgaste a ponto de confundir momentos de entrada e saída. Monte uma tabela de horários e siga.

  • Quais seus limites de perdas?

As funções de stop, por exemplo, não existem à toa. Aqui é importante você traçar demarcações de prejuízo para cada operação. E por incrível que pareça, é bom colocar limites de ganhos também; você pode estar com uma alta quantia e logo depois devolver tudo. Não seja ganancioso.

Entenda que instituir uma metodologia para operar, extremamente disciplinada, é o componente mais básico para reconhecer as boas oportunidades, como também saber sair na melhor hora.

Sem disciplina é normal estar à mercê de impulsos e sair do controle. A imprevisibilidade do comportamento durante uma operação, é o que mais se deve temer, porque é justamente o que pode te derrubar.

Quem começa a operar não se dá conta de que precisa desenvolver uma série de habilidades específicas porque nunca esteve em um ambiente como esse, que você como um trader pessoa física, não consegue manipular.

Estamos acostumados a manobrar as situações, porque crescemos com regras, e acima de tudo, em ambientes manejáveis. Isso significa que quando você era criança, provavelmente vivia em um sistema de recompensas e punições e tinha a habilidade de manipular os acontecimentos para conseguir o que queria no momento.

Acontece que o mercado financeiro não é um desses ambientes que você consegue moldar. O único alterável é você mesmo.

100% dos traders possuem crenças, mas você consegue perceber que essas crenças mudam de pessoa para pessoa e que dependem da criação de cada um? Às vezes, não importa o quão bom analista de preços você é, o quão bem você entende de tape reading, ou de análise gráfica, se você não se libertar dessas convicções ultrapassadas, seu sucesso estará limitado ao que elas irão impor ao seu sistema mental.

Planejamento e foco são técnicas necessárias para algo maior que você precisa atingir, nesse caso, operar. Sem elas, é normal o trader hesitar na hora de abrir uma posição. Por isso, uní-las com outras estratégias é fundamental, e é o que abordaremos a seguir:

Opere sem hesitar

O medo de começar no mercado ou o medo de entrar em operações ruins, gera alguns danos psicológicos, e ele funciona como um ciclo.

Pense que você perdeu X reais operando um ativo ontem. Amanhã, se você decidir operar novamente, provavelmente suas atitudes estarão enviesadas para evitar o sentimento de perda, ao invés de procurar boas oportunidades. Isso significa que você tomou consciência do mercado de modo forçado. Suas motivações para agir, ou não, serão o medo, não o mercado.

Acontece que o medo limita sua capacidade de resposta. Aquele momento que você está parado pensando o que fazer e como fazer é como um veneno. Se você nota que fica imobilizado antes de enviar uma ordem, suas ações precisam ser modificadas. E isso inclui desenvolver sua auto confiança.

Auto confiança te ajuda a fazer o que precisa ser feito, sem hesitação. Apenas repare que confiança, não é o mesmo que arrogância. Você nunca sabe tudo, sempre pode melhorar a forma como encara a mesa. Trabalhar a parte mental diariamente é fundamental para que você não seja expulso das operações.

Isso pode incluir treinar em simuladores, por exemplo, que te dão mais confiança na hora de operar em uma conta real. Assim, como todo trader consistente, você saberá quando clicar e reconhecer a melhor a oportunidade.

2. Aprenda a lidar com as perdas

Nós mesclamos as informações do mercado para se ajustarem às nossas crenças e medos. Sabendo isso, imagine a seguinte situação: você entra em uma operação. Suas ações ali, provavelmente vão estar baseadas no que o mercado fará em seguida.

Caso o mercado vá contra você, se não estiver preparado, isso irá te desestruturar. E é importante perceber que mesmo que suas análises sejam muito bem feitas e você tenha uma gama alta de conhecimento, isso em algum momento vai acontecer. Os ganhos acontecem justamente pelo mercado ser volátil. Não se desestabilize a cada prejuízo que você venha a ter.

É preciso trabalhar alguns pontos importantes aqui. Primeiro pense o que o mercado pode lhe mostrar para fazer você considerar que aquilo não vai mais representar uma oportunidade. Segundo, você precisa pensar no conceito de perda em si, e em como você a descreve.  Agora trabalhe em cima das consequências de como você a definiu: você acha que ela vai lhe diminuir como pessoa?

É necessário encarar todos esses assuntos. Confrontar a possibilidade de uma perda é evitar que o medo se propague, e como já falamos, consequentemente a hesitação frente às decisões.

O fato de traçar planos e colocar metas para si próprio não significa que se você perdeu 2X ontem, hoje você precisa recuperar esses mesmos 2X. Parar e analisar quais foram seus erros é muito mais eficaz do que simplesmente continuar no jogo com os mesmos problemas que fizeram você ter prejuízo.

Além disso, deixe uma posição perdedora assim que você notar que ela existe. Quando as perdas estão dentro do limite que você estabeleceu e são stopadas sem hesitação, não haverá ciclo de dor.

Aprenda também a lidar com os ganhos

A maioria das pessoas cresceu com a crença de que se você tem muito dinheiro, você deve ter trabalhado por horas e horas para ter direito a essa quantia. Caso contrário, ele não deveria ser seu. Sabendo isso, umas das coisas que você precisa observar em você é se começou a ganhar dinheiro e logo depois começou a devolver para o mercado.

Entre as causas, possivelmente há o componente psicológico inconsciente que diz que você não merece essa quantia, da forma que veio, tão rapidamente. Após isso, ele arruma um jeito de devolver novamente esse dinheiro. É como uma auto sabotagem. Procure perceber isso e trabalhar essa ideia.

3. Não deixe a ganância tomar conta das suas operações

A ganância é a ideia de que algo nunca é suficiente, ou que será insuficiente em algum momento. Entrar em uma operação envolve tudo que você aprendeu até hoje: riscos x retorno, necessidade de fazer a escolha certa (no momento correto) e o medo de fazer escolhas que vão à contramão do seu capital. Sair de uma operação inclui sentimentos como perda, ganância e controle.

Entrar no mercado parece muito mais fácil do que sair dele. Isso acontece porque quando você zera uma posição, suas crenças são diferentes das que fizeram você entrar. Você começa com expectativas de ganhos e perdas, mas a volatilidade que faz o mercado ser o que é, pode balançar seu emocional.

Não pense em lucro e prejuízo quando você zera uma posição. Mantenha sua concentração no que mais importa: os movimentos do mercado e sua convicção do que você acha que acontecerá com os preços.

Então entenda: as crenças que fizeram você começar a operar e entrar para esse mundo, serão diferentes das crenças que você vai se deparar ao largar uma operação. Isso precisa ficar bem claro na sua cabeça.

Não operar também é operar

Não é preciso estar em todas as oportunidades e nem operar em todo o tempo que o pregão funcionar. Assim que você compreender que saber quando é hora de ficar de fora e não fazer operação alguma, também é operar, você vai se tornar um bom trader.

Traders de alta performance pegam um pouco do mercado e saem em seguida. Inclusive se eles têm perdas seguidas, entendem como um sinal de que algo está errado e que o melhor é deixar para operar em outro momento. Aqui, o essencial também é fazer uma auto avaliação, para analisar o que está está lhe incomodando ou rever as análises que não estão funcionando.

Quando identificamos e aceitamos os problemas que afetam os negócios, começamos a criar vida no mercado. Você também consegue seguir uma vida disciplinada muito mais facilmente.

4. Aprenda a pensar em termos de probabilidade

É impossível saber o que um jogador fará em uma rodada de poker, mas é possível determinar o que ele provavelmente irá fazer, graças à probabilidade e o que suas ações indicam; e o mesmo vale para o mercado financeiro como um todo.

Querer antecipar os movimentos de outra pessoa parece, de certa forma, algo intuitivo de fazer. Mas porque a ciência então se colocou nesse campo e desenvolveu teorias, como a teoria dos jogos?

Quando você pensa que pessoas interagem constantemente e que essas interações podem afetar outros agentes, você necessita de algo que desvenda o raciocínio desse indivíduo, e organize para um melhor entendimento.

“É impossível o mercado ir abaixo desse nível de preço” e, assim, basta um outro operador vender abaixo dele para seu argumento ir por água abaixo. Os pontos não são concretos, por isso pensar em termos probabilísticos é essencial.

Perguntar a si mesmo coisas como “que riscos eu posso ter se eu entrar nessa operação?” “existe potencial suficiente para um movimento que faça valer esse risco?” “a tendência está enfraquecendo ou apenas é uma reação normal?” “quais as chances disso acontecer?” são essenciais para qualquer operação que você for entrar. Aqui nada é certo que aconteça.

Essas táticas te ajudam para que você consiga agir em função de cada situação, ao invés de hesitar e perder o controle.

5. Ajuste-se em função do mercado

O mercado financeiro não é o ambiente em que crescemos, então precisamos mudar a maneira como pensamos e trabalhamos para nos ajustarmos ao meio. Fomos criados de uma forma que sempre procuramos adaptar nossa casa, nossa mesa de trabalho, nossa vida, de acordo com nossas vontades e desejos. Mas o mercado financeiro não pode ser manipulado.

Somente grandes instituições e bancos conseguem controlar preços e gerar impacto suficiente no mercado; isso porque movimentam volumes muito maiores que a pessoa física, por exemplo.

O mercado talvez seja um dos ambientes que mais requeira confiança e disciplina. Todos nós temos certa deficiência dessas características porque crescemos já em um ambiente padrão, estruturado, controlados por alguém maior que nós, que tentava moldar ao máximo nosso comportamento, para ir de encontro à sociedade. Veja que fomos formados a partir de pressão externa, em um sistema de recompensa e punição.

Dessa maneira, aprendemos a arte de manipular as situações para conseguirmos aquilo que queríamos. A questão é que essa ideia de tentar manobrá-las, a posição social em que nos encontramos e a pressão emocional que colocamos diante de uma situação que esperamos mudanças, nada disso funciona para o mercado. Ele é um ambiente a parte de tudo que você já presenciou.

Além disso, a figura de pai ou mãe, sempre responsáveis por nós e nos dizendo o que fazer em determinadas situações, não existe nesse ambiente. A bolsa não vai mostrar a hora que você precisa abandonar suas operações. O responsável por seu sucesso e seu fracasso no mercado é apenas você, saiba reconhecer isso!

Nosso meio de criação não nos deu estímulo o suficiente para sermos criativos e a liberdade necessária para conseguirmos fazer nossas próprias regras na nossa etapa de desenvolvimento. São características como essas de auto suficiência e de saber criar suas próprias diretrizes que o mercado precisa que você tenha.

Agora pense nas primeiras coisas que precisa ter em mente quando vai começar a operar. Você não apenas entra, abre posições e essa se torna sua única decisão. No mínimo você decide quando entrar, quanto tempo ficar e sob quais circunstâncias sair. É um longo trabalho que demanda estudo e preparo. Acima de tudo, pede que você seja disciplinado, e que tenha controle total sobre suas ações.

Você deve se adaptar ao mercado, não ao contrário. Operar abre portas de possibilidades de ganhos extraordinários, e o dinheiro representa liberdade de expressão. Portanto, não fique refém das suas emoções. Trabalhe elas para desfrutar das diversas perspectivas e ganhos que esse mundo pode lhe oferecer.

Gostou do artigo? E que você acha de entender um pouco mais sobre o novo produto da bolsa? Confira aqui Entenda o microcontrato de S&P, um novo produto da bolsa!