Lay Blog 147
Lay Blog 147

A relevância das emoções na vida do trader

A capacidade de controle emocional na vida de um trader é uma ferramenta fundamental para o sucesso na área. Nas flutuações diárias do mercado, e principalmente, nos dias mais difíceis e turbulentos da bolsa, manter a calma e saber lidar com as emoções é essencial para seguir as estratégias traçadas.

Leia esse artigo e entenda a natureza do mercado, como você pode lidar com ele e como suas emoções se comportam nessa área. Um verdadeiro guia do controle emocional. Acompanhe!

Entenda a essência do mercado

Podemos fazer uma analogia bem simples do que são as emoções no ambiente financeiro. O mercado é como um oceano e nesse artigo iremos tratar da sua maré psicológica, que acaba trazendo sensações e medos.

Vamos agora desenvolver um pouco essa ideia. O oceano não pretende te prejudicar, mas também não se preocupa com seu bem estar. Em um dia bonito de sol, você vai se sentir alegre e livre. Mas àqueles em que uma tempestade horrível se aproxima, você provavelmente sentirá medo, porque ele vai te empurrar contra as pedras. Perceba que suas emoções acerca do oceano só existem dentro de você.

Trading é 80% controle emocional e 20% as análises que você adota. Não é você contra o mercado. É apenas você. Suas impressões acerca desse ambiente, assim como seus comportamentos dependem exclusivamente de você. O mercado não te obriga a nada.

Portanto, quem faz seu patrimônio desaparecer não são “eles”. Tome conhecimento do que é ser trader e quem está no comando. Também, não culpe terceiros por seus fracassos. Entenda que você é o responsável por suas ações, que acabam por resultar em ganhos ou prejuízos.

Ao criar essa noção e tomar ciência dos seus atos, você consegue desenvolver uma autocrítica necessária para esse mundo. Operar não é nada se, no final de cada operação, não for identificado quais foram seus acertos e o que precisa ser melhorado.

Porque o mercado financeiro têm uma natureza atrativa?

Existe uma mística em cima do mercado financeiro. Nos filmes a Bolsa é retratada com glamour, sendo operada por traders com alto padrão de vida.

O belo e encantador do mercado financeiro é justamente a emoção à flor da pele e os nervos atiçados. Operar se torna viciante.

Agora, você sabe porque os cassinos adoram clientes bêbados e costumam oferecer bebidas grátis? A bebida deixa seu emocional abalado, e isso traz consequências no modo como você encara o jogo, tomando decisões precipitadas.

Você já assistiu ao filme americano Quebrando a Banca? Ele nos mostra como Las Vegas odeia contadores de carta, e pessoas espertas o suficientes para saber driblar o emocional.

Aproveite que no “mundo de Wall Street” eles não te tiram do mercado por você ser um bom operador. Pelo contrário! O mercado sabe lhe compensar se você dribla corretamente e, principalmente, o componente emocional.

Não controle o mercado, controle a si mesmo

Se você têm expectativas sobre algo ou algum acontecimento e elas não se concretizam, você naturalmente fica frustrado. No mercado isso também ocorre. Esse estado de frustração faz o operador negar e distorcer a realidade.

Abrindo agora um pouco mais essa linha de pensamento; dano psicológico é qualquer mecanismo mental que têm o potencial de gerar medo. O medo faz parte de condições emocionais dolorosas, essas mesmas que falamos no parágrafo acima; e gerando as expectativas não satisfeitas estamos tratando do conflito que se cria entre o que algo deveria ser e como de fato ele é.

Pense em quando você entrou naquela operação achando que ia ganhar uma “bolada”. Durante ela, algo aconteceu que não satisfez suas expectativas, ou seja, você provavelmente começou a ter prejuízos, ao invés de altos lucros, como era sua vontade inicial. É exatamente desse momento que estamos falando.

Ele causa certo dano na forma como você vai enxergar suas operações daqui pra frente. A partir daí, sua entrada no mercado já vai ser diferente de como era inicialmente. Suas percepções estarão modificadas e sua preocupação maior, mesmo que inconscientemente, será em não repetir o mesmo padrão; e não em analisar a qualidade da operação em que você está entrando.

Todo esse conflito gera um mecanismo de defesa, em negações e justificativas para algo. Quando maior é a diferença entre a sua expectativa e o que o mercado de fato está te dando, mais confuso você fica. Você já se perguntou após perdas consecutivas, sobre por que “tudo está dando errado” nas operações?

Você não possui a habilidade de controlar os mercados, mas pode controlar o que vai fazer no mercado. Controlar as suas ações é algo que te traz mais segurança, pois você não fica olhando a tela do computador como um torcedor olha para um jogo de futebol. Quando você vira torcedor, você perde o controle da partida.

Se você sofreu várias perdas, eventualmente suas ações estarão enviesadas para evitar dor ao invés de procurar bons trades. O medo de perder dinheiro, de errar as análises, ou de não ter entrado no melhor momento do mercado acabam sendo suas motivações primárias para escolher agir ou não no mercado.

Entenda como a psicologia faz parte do mercado e da economia

Quando estudamos o básico de economia, aprendemos que uma das premissas é que o preço de um bem ou serviço é determinado pelas leis de oferta e demanda. Puxando essa teoria para termos do mercado, podemos dizer que a lei de oferta e demanda está baseada em ganância e medo.

O entendimento de que disponibilidade e ganância – implícitas na economia – existem acabam por desencadear exatamente o sentimento de medo. Para o trader o cenário de perder X reais é muito pior do que o cenário de não ganhar os X reais. Podemos notar aí que existe uma baixa tolerância ao risco.

Note o seguinte: se você quer aprender a operar com qualidade no mercado, sua atenção também deve estar em como os principais traders lidam com o sentimento de perda, para aprender com seus comportamentos nesses momentos, observando suas estratégias. O fato de ter tido um resultado ruim nas operações pode desestabilizá-los, porque poucos possuem a frieza necessária para o mercado. É nessa hora que certo padrões podem ser identificados.

E através destas conclusões, podemos notar que operar no mercado financeiro não é um jogo de aposta. Em qualquer jogo assim, você precisa participar ativamente e a lógica não inclui fazer algo para parar de perder, já que você está apostando que vai ganhar, por exemplo, baseado em crenças que na maioria das vezes não são sólidas.

Em qualquer operação da bolsa você não precisa operar ativamente dessa maneira. Traders de alta performance sabem que não operar também é operar. Saber quando não é hora de entrar no mercado faz parte, bem como saber a hora certa de sair das operações, deixando para trás suas ganâncias pessoais. Os recursos de stop, por exemplo, servem exatamente para isso.

Saiba os problemas que podem surgir ao operar com medo

Como todos os traders, você já teve um dia de perda. No dia seguinte, ao surgir uma oportunidade de um trade, você sentiu que “travou”? Esse é um caso clássico de quando o medo toma conta do psicológico ao operar.

Imagine a seguinte situação: após fazer suas análises, você chegou a conclusão de que vale a pena entrar naquela operação. Antes de clicar na opção decidida, você para e perde algum tempo pensando no mesmo do que você já analisou várias vezes.

Todos traders já se depararam com essa confusão mental, a famosa paralisia do “o que faço agora?”. Superar essa situação é o desafio no mercado! A superação ocorre com o tempo, quando o operador sabe gerenciar os resultados ao longo dos meses e sabe que um dia ou uma operação não vale toda a vida no trading.

Perceba que se você operar em um estado de medo e ansiedade, isso automaticamente aumenta qualquer sentimento de auto desprezo e falta de poder.

Não há como esconder de si mesmo os próprios erros no mercado. O relatório de performance está na sua tela, “piscando” todo o dia. Precisamos estar plenamente cientes do que fazemos e procurar um autoconhecimento constante.

Uma dica para passar por cima da “paralisia do trade” é clicar. Isso mesmo: clicar sem medo de errar. Você já tem uma estratégia? Sabe que ela é lucrativa a longo prazo? Clique! Abra posições quando deve abrir e, principalmente, feche quando deve fechar! Acostume seu mindset a agir mais e torcer menos.

E essa parte mental desenvolvida não nasce com a gente. Livros e teorias são ótimos, mas você só consegue desenvolvê-la se de fato fazer parte de um aprendizado de tentativas e erros. Nessas horas ter um simulador é fundamental, para que você não comece a treinar usando seu próprio dinheiro.

Tenha ciência das consequências que podem surgir ao entrar no mercado com os sentimentos errados e sem um bom controle emocional.

1. Diminuição da percepção

Sentir medo diminui a sua melhor análise do mercado. Você consegue perceber que operar dessa maneira diminui a sua percepção de um bom trade? Isso significa que nessas condições você somente consegue perceber as informações que validam seus medos.

Isso te barra para outras alternativas. É importante notar com clareza a relação negativa entre o medo e percepção clara de informação de ambiente. Isso te leva a enxergar seus trades de outra forma, fazendo você ter cautela em situações onde todas as variáveis já foram analisadas; ou seja, te levado a analisar fatos desnecessários.

2. Limitação da capacidade de resposta

O medo limita sua capacidade de resposta. Sabe quando algo inesperado acontece na sua vida e você fica alguns segundos pensando o que fazer? Esses casos são comuns no trading.

No momento de uma execução de ordem, é comum players se sentirem imobilizados. Antes de começar a operar, de preferência durante o treino usando um simulador, você precisa aprender a desenvolver um senso de autoconfiança.

Essa autoconfiança se resume a: fazer o que precisa ser feito, sem hesitação; porque hesitação cria uma atmosfera de medo. E se você alimentar essa situação, o que mais se teme pode se tornar real, como o prejuízo naquele trade que tinha tudo para dar certo.

Confiança e medo são separados por uma linha tênue, porque se diferenciam apenas pelo grau em que se encontram. À medida que você fica mais confiante, menos medo e insegurança você tende sentir na hora de operar.

3. Obrigação de estar constantemente presente no mercado

Operar com o medo de perder tudo porque você já está com pouco dinheiro também é prejudicial. Não se force a ganhar uma quantia altíssima porque você já perdeu boa parte ou porque já começou a operar sem uma margem boa de garantia.

É difícil se desenvolver e manter equilíbrio quando você está sob algum tipo de pressão financeira. Não opere com o dinheiro que você não pode se dar ao luxo de perder, portanto, tenha sempre em mente que o montante que serve para pagar suas contas, não deve ir para as operações. Essa pressão faria com que você se sinta obrigado a estar sempre no mercado, entrando em muitas operações desnecessárias.

Encontre o equilíbrio entre a vida pessoal e profissional

A qualidade da nossa vida pessoal, na qual influem familiares, amigos e todos os círculos sociais, certamente pesará positivamente ou não no desempenho de qualquer profissional.

É difícil imaginar que uma pessoa desequilibrada emocionalmente em casa irá se comportar de forma calma e racional quando emoções negativas a afetarem na mesa de operação, por exemplo.

O estresse, o sobrecarregamento de tarefas e responsabilidades, os relacionamentos danosos e todas as mazelas às quais uma pessoa de carne e osso está suscetíveis, são fatores que nos desequilibram mentalmente, sendo que, quando combinados a outros desequilíbrios no trabalho, podem acarretar crises, distúrbios e doenças.

Suas habilidades como um pai brincalhão provavelmente não lhe serão muito úteis na hora de executar uma ordem de compra, bem como seu sangue frio na hora de executar uma ordem de venda não lhe trará maior desenvoltura ao ensinar seu filho a soltar pipa.

Porém, é certo que, para inúmeras outras situações em que o mercado ou a sua família lhe colocará, aprender a ter equilíbrio e controlar de forma racional suas emoções fará com que você contorne as dificuldades, resolva os problemas e tome decisões de forma muito mais efetiva, inteligente e benéfica.

Estar desequilibrado tornará as coisas sempre piores, em todos os campos da vida. Para um trader, sobre o qual a pressão na tomada de decisões sempre repousa, ter um controle emocional adequado certamente trará maiores lucros e evitará prejuízos em diversas situações de volatilidade acima do usual no mercado.

Mas lembre: você não é uma máquina!

Mesmo que o controle emocional seja importante, ninguém pode se comportar simplesmente como um robô, executando ordens de compra e venda. Isso nem seria desejável, pois é justamente a capacidade humana de se adaptar a circunstâncias novas, difíceis e inesperadas que faz um bom trader ser superior a qualquer máquina.

Nos momentos em que o cenário foge completamente do imaginado, seja criando oportunidades inesperadas de grandes lucros ou trazendo a possibilidade de prejuízos, é o controle emocional do trader um dos principais fatores que podem definir entre a melhor e a pior decisão. A calma com que você opera um lote de dólar deve ser a mesma com que você opera dez lotes!

Se você quer saber mais sobre temas de importância para o seu sucesso como trader, nos siga em nossas redes sociais! Acesse de forma gratuita outros textos e materiais que estamos preparando especialmente para você. Estamos no Facebook, no LinkedIn e no Twitter!

Gostou desse artigo? Você pode ler mais sobre o assunto em as 5 formas de controlar suas emoções no mercado financeiro.