Lay Blog 001 3
Lay Blog 001 3

BDR’s: aprenda o que são e como usar para diversificar carteiras!

Disney, Amazon, Netflix, Tesla… o que essas empresas têm em comum? Agora você também pode investir nessas e outras centenas das maiores empresas das bolsas americanas. Com os BDRs, não é mais necessário enviar dinheiro para o exterior ou abrir conta em corretoras internacionais, por exemplo.

Neste artigo vamos explicar por que esses ativos são a forma mais simples de expor sua carteira ao capital internacional. Entenda!

Afinal, o que é um BDR?

Em linhas gerais, um BDR, ou Brazilian Depositary Receipt, é um certificado, um recibo depositário com lastro em ações emitidas em outros países, mas negociados na nossa bolsa. Na prática, ao adquirir um certificado ou recibo destes, o investidor não está comprando diretamente as ações daquela empresa, mas sim um título que representa aquele papel, intermediado por uma instituição chamada depositária. Para tanto, é necessário que tais ativos sejam bloqueados no exterior pela custodiante original, ou seja, instituição financeira detentora dessas ações (ou a própria empresa no caso de um BDR Patrocinado, falaremos sobre eles mais adiante).

Para que você tenha confiança na negociação, os certificados são fiéis ao papel original ao qual está lastreado, ou seja, altas e quedas nas ações nas bolsas originais são reproduzidas no BDR negociado por aqui. No Brasil, o lote fracionário dos BDRs também é equivalente ao de uma ação nacional negociada na bolsa de valores, ou seja: você pode comprar uma ação por vez se assim desejar.

Principais vantagens

Um dos principais fundamentos de uma carteira de investimentos equilibrada e rentável é a diversificação, ou seja, distribuir o montante entre diversas categorias de ativos, tais quais renda fixa, renda variável, fundos imobiliários, entre outros.

No entanto, um dos princípios mais importantes para uma carteira estava até então restrita a investidores experientes ou com alto volume de capital disponível. Além disso, é muitas vezes alvo de desconfiança e processos um tanto burocráticos. Estamos falando dos investimentos em ativos no exterior, exposição ao capital estrangeiro, diversificação em dólar, euro, etc. São vários os nomes que podemos atribuir à compra de ativos no exterior.

Quanto está o dólar. Entenda os principais fatores de impacto no câmbio

Só a ideia de converter a nossa moeda, alocar dinheiro em uma corretora fora do país e fazer remessas internacionais de dinheiro pode parecer assustadora para muitos operadores e investidores, mesmo entre aqueles que já não são tão novatos no mercado financeiro. É aí que os BDRs entram na jogada para facilitar a negociação de ações, títulos e fundos no exterior. Nessa modalidade, todas as operações são realizadas em Real, simplificando e barateando a negociação desses ativos, ainda que, originalmente, as ações sejam oferecidas em outras moedas nos seus países de origem.

A modalidade até então estava restrita a investidores qualificados (com mais de R$ 1 milhão investidos em ativos) mas, recentemente, foi disponibilizada para todos os clientes pessoa física cadastrados na B3 e com conta em alguma instituição financeira que ofereça esses papéis. Já são mais de 670 empresas estrangeiras e fundos de investimentos à disposição para os investidores.

Uma informação importante: nesse momento, somente ações negociadas nas bolsas americanas estão disponíveis! Caso exista algum BDR da bolsa de Shanghai em negociação aqui, por exemplo, ela estará sendo negociada com lastro em algum ADR (American Depositary Receipt).

Para acompanhar em tempo real as cotações das ações originais ligadas aos BDR’s e também entender as movimentações do mercado americano para fazer melhores decisões de compra, agora você pode contratar os módulos opcionais Nasdaq e Nyse para o Profit, ou então combinar ambos no poderoso US Equities! Você por dentro das maiores bolsas do mundo!

modulos nasdaq nyse

Os diferentes tipos de BDRs

Por serem originários de países estrangeiros, essa classe de ativo possui uma série de regras para negociação, que podemos dividir em algumas categorias de acordo com a disponibilidade aos investidores e nível de comprometimento com as regras nacionais. Os recibos depositários estão separados entre patrocinados e não patrocinados; e também em diferentes níveis dependendo de como são classificados quando adquiridos para negociação local. Mas o que isso significa?

BDRs Patrocinados (níveis I, II e III)

São chamados de Patrocinados aqueles BDRs em que a empresa emissora das ações “patrocina” o programa, contratando uma instituição depositária para disponibilizar ações no mercado brasileiro. Isso acontece quando a empresa tem interesse no mercado e nos investidores do país.
Já a classificação em níveis se dá de acordo com o tipo de distribuição e a quantidade de informações a serem oferecidas aos investidores. Abaixo preparamos um resumo para exemplificar melhor cada um dos níveis.

BDR Patrocinado Nível I

Essa categoria de ativo não precisa do registro na CVM por parte das companhias, mas pressupõe algumas limitações e regras:

  • Só podem ser negociados em mercados de balcão não organizado ou segmentos criados de forma específica para esses ativos na bolsa em questão.
  • É possível divergir dessa regra oferecendo os títulos em oferta pública, no entanto os mesmos serão classificados como “esforço restrito”, ou seja, exige menos burocracia mas impõe um limite máximo de 50 investidores aptos a comprarem os ativos.
  • Todas as informações exigidas da empresa emissora no país de origem devem ser divulgadas no país de negociação de forma obrigatória. Além disso, os editais de convocação, fatos relevantes, reuniões do Conselho Administrativo e deliberações dos acionistas também devem ser divulgados.
  • Demonstrações e balanços financeiros estão desobrigados de conversão para reais e as empresas não precisam seguir as normas contábeis brasileiras.

No entanto, agora os investidores “não qualificados” podem adquirir BDRs, inclusive os patrocinados de nível I, com ressalvas. Os ativos que servem de lastro para um BDR Patrocinado Nível I em mercado aberto devem ser negociados em um ambiente que, no exterior, é chamado de “mercado reconhecido”, ou seja, um mercado com grande volume de negociações aferido nos últimos 12 meses. Além disso, a entidade reguladora do mercado de capitais que negociará os BDRs no país de origem deve supervisionar a empresa emissora dos títulos que dão origem aos mesmos.

BDR Patrocinado Níveis II e III.

Os outros dois níveis de BDRs patrocinados são bastante semelhantes entre si. Diferente daqueles de nível I, os de nível II e III necessitam, obrigatoriamente, que a companhia emissora dos títulos originais obtenha um registro na Comissão de Valores Monetários (CVM). Podem também ser negociados livremente em balcão organizado ou bolsa; o segmento específico não se faz necessário nesse caso. Antes, a aquisição desses ativos por investidores “comuns” se dava apenas por meio de fundos com esses BDRs em custódia.

Ainda de maneira diferente aos BDRs Patrocinados Nível I, quem emite as ações no exterior está sujeito às mesmas regras aplicáveis também para as empresas brasileiras classificadas como “Categoria A” na CVM, observando-se critérios de governança e transparência, entre outros.

Mas então, qual a diferença entre os dois? Os títulos considerados de Nível II só podem ser negociados em ofertas públicas de esforço restrito, conforme especificado nos parágrafos anteriores, permitindo o acesso somente a um grupo de, no máximo, 50 investidores. Tal restrição não acontece no Nível III, caso em que podem ser negociados de maneira mais ampla entre todos os investidores.

BDRs Não Patrocinados

São considerados não patrocinados os recibos emitidos por iniciativa da instituição depositária local, como um banco ou a própria B3. Muitas vezes, essa emissão ocorre sem acordos com a empresa emissora original da ação ou fundo. A intenção é diversificar as opções de captação e investimentos aos clientes/correntistas. Nesse caso, a depositária também fica responsável pela divulgação de todos os dados e informações exigidas pela CVM. Hoje, na B3, praticamente todos os BDRs disponíveis são do tipo não patrocinado. Somente 5 estão disponíveis para negociação na categoria patrocinada.

Recapitulando

Os BDRs patrocinados se dividem em 3 níveis e são – como diz o nome – “patrocinados” pelas suas próprias empresas emissoras no país de origem, podendo ou não ter restrições de negociação. Podem ainda estar ou não expostos às regras e registros aplicáveis pelas instituições reguladoras nacionais, dependendo de cada nível. Já os não patrocinados são emitidos por uma depositária nacional (com lastro em ações, títulos ou ETFs internacionais). Esta empresa então fica responsável pela negociação e cumprimento das regras na bolsa brasileira.

Parece muita coisa pra decorar, mas, na verdade, existe uma forma bem simples de diferenciar cada um. Você pode identificar os tipos e níveis de cada BDR pelo número que precede o código de negociação de cada empresa. Assim como ocorre na bolsa brasileira, existe um código inicial de quatro letras, mas, nos BDRs, as letras são seguidas de um código de dois dígitos, que gera essa diferenciação. Dessa forma, os BDRs Patrocinados Nível II são seguidos do nº 32, os de nível III do nº 33, e os não patrocinados, dos números 34, ou 35. Veja alguns exemplos*:

MCDC34 – McDonald’s – BDR Não Patrocinado;
AURA33 – Aura Minerals – BDR Patrocinado Nível III;
GOGL35 – Google Alphabet – BDR Não Patrocinado.

*listagem meramente ilustrativa, não representa recomendação de compra ou venda.

Mas, então, não existem desvantagens?

Como todo investimento, existem alguns pontos que você deve levar em conta, ainda mais se for um investidor experiente. Vamos a eles:

  • Impostos e taxas: Como os recibos são intermediados por uma instituição nacional, tudo que for gerado de dividendos ou juros pela empresa é taxado em 5%, e você ainda paga o IOF de 0,38%. É o custo da praticidade.
  • No caso da venda de um ativo, a negociação fica toda em solo nacional, uma vez que a depositária mantém os ativos bloqueados na custodiante. Além disso, você paga IR sobre a venda sem a isenção do teto de R$ 20 mil como é o caso da negociação direta de ações.
  • Câmbio: Como a exposição da carteira se dá em capital estrangeiro, caso uma ação suba 3% e o dólar caia 6%, o papel sofrerá uma desvalorização!
  • Baixa liquidez: Mesmo as maiores empresas americanas disponíveis na B3 por meios de BDRs ainda possuem um nível muito baixo de negociação. É possível que esse cenário seja alterado conforme novos investidores optem por essa modalidade.
  • Número de empresas: Enquanto no Brasil existam mais de 670 BDRs em negociação, nas bolsas americanas o número de empresas é superior a 4 mil.
  • Você ficará de fora dos IPOs da bolsa americana: essa característica te dá mais segurança ao trazer empresas mais consolidadas, porém pode limitar o seu retorno de capital.

Não esqueça: por se tratar de um mercado estrangeiro e de grande volatilidade, o estudo dos papéis – seja com análise técnica ou fundamentalista – se faz ainda mais necessário. Negociar em mercado de renda variável pressupõe riscos, que podem ser minimizados com um bom gerenciamento de risco e muito estudo. Vamos aprender como fazer, na prática?

Investindo no seu primeiro BDR, passo a passo:

  1. Primeiro, é necessário ter conta em uma corretora. Caso ainda não tenha, faça o cadastro naquela de sua preferência.
  2. Acesse a área de plataformas e faça um teste do Profit, da Nelogica, caso ainda não seja cliente.
  3. Após a instalação, acesse a plataforma e abra o gráfico juntamente ao Chart Trading.
  4. Insira um novo ativo, buscando pelo código da empresa de sua preferência.
  5. Defina um ponto de entrada, um stop, e posicione sua ordem pelo gráfico ou pela boleta disponíveis no ambiente do Profit.
  6. Pronto, você acabou de investir em um ativo internacional!

Partiu investir em BDRs?

E aí, o que achou, dos BDRs? Pronto para diversificar a sua carteira? Esses títulos estão disponíveis em todas as modalidades de operação, seja position, swing trade ou day-trade. Você pode negociar em todas essas modalidades nas plataformas da Nelogica. Não perca tempo, conheça agora as nossas soluções para o mercado financeiro e faça um teste!

Muitos gains e operações vencedoras para todos, até a próxima!