View Blog 089
View Blog 089

4 dicas fundamentais para escolher um ativo

Independentemente do estágio de trader que você está, iniciando ou não na Bolsa, em algum momento você vai ter que escolher um ativo. A escolha de um ativo é fundamental para que o trader tenha uma boa performance no mercado. Sabendo os detalhes do que você está operando, não cai na primeira armadilha do mundo financeiro, que é não saber o que está fazendo.

Quer saber como você realiza a escolha de um ativo de forma simples e clara? Separamos 4 dicas cruciais para você decidir com qualidade! Acompanhe mais esse conteúdo da Nelogica.

Veja a importância do contexto macro

Você começa a acompanhar ou até mesmo operar o dólar, índice, algumas ações… mas já parou para acompanhar o que está por trás desse ativo? O contexto macro é tudo o que envolve aquele ativo fora da tela operacional. Índices econômicos, nicho de mercado e fatores político-econômicos são alguns dos pontos fundamentais para você entender o contexto macro do ativo. Entenda o que são cada um desses pontos.

Acompanhe fatores macroeconômicos

A economia é o jogo real que está por trás da precificação dos ativos. Não é é possível para ignorar o fundamento que faz os grandes players olharem para um ativo com mais atenção. Se a economia de um país não tem boa perspectiva, por exemplo, isso afeta diretamente as indicadores daquele país, e por sua vez, as empresas daquele país. Inclusive as que fazem parte da Bolsa.

Empresas que têm uma ligação forte com o governo, como algumas blue-chips, tendem a sentir rápido efeitos de políticas-econômicas bem ou mal geridas. Na mesma situação anterior, de uma economia ruim, certamente esse país teria uma desapreciação cambial, pois, os participantes estariam confiando menos na moeda daquele país. Percebe a conexão completa que existe no mercado financeiro?

Também, o contexto externo faz muita diferença na precificação dos ativos de um país. Guerras comerciais, taxas de juros dos EUA, decisões sobre importação e exportação, desaceleração/aceleração da economia chinesa… tudo isso afeta diretamente todas economias, e o Brasil não foge disso.

Fique atento aos principais indicadores e eventos

O mercado financeiro é complexo e interligado, nada pode ser interpretado sem um contexto. Alguns indicadores podem ajudar a entender como está a interpretação do mercado para com os ativos da nossa Bolsa:.

  • PIB brasileiro

O PIB indica a força produtiva de uma economia. Uma boa projeção de PIB indica que a economia tende ao crescimento, enquanto que uma projeção ruim indica uma possibilidade de recessão. Isso desfavorece os ativos de bolsa, inclusive o IBOV (e por sua vez o seu derivativo, índice futuro) pressionando os preços para baixo.

Isso não quer dizer que se sair uma projeção ruim o mercado vai imediatamente desabar. Porém, certamente é um cenário que desfavorece a Bolsa.

  • SELIC

A taxa SELIC é um grande termômetro do mercado, certamente um dos preços mais importantes da economia nacional. O preço do dinheiro se caro demais (juros alto) ou barata demais (juros baixo) influenciam de forma decisiva a atuação dos players. Se a SELIC está muito alta, os players certamente tem um estímulo menor a aplicar parte dos seus portifólios na Bolsa. Assim, o IBOV tende a ser prejudicado.

  • Risco Brasil

O Risco Brasil é um importante indicador que mostra a solvência (capacidade de pagar dívidas) do Brasil. É acompanhado por todos os grandes players globais e tem uma forte relação com o câmbio. Uma variação brusca na percepção do Risco Brasil, tende a diretamente afetar o câmbio, especialmente no médio prazo.

  • Payroll

O Payroll é a folha de pagamentos não-agrícola norte-americana. É um indicador que indica bons indícios da força da economia doa EUA. É lançado sempre na primeira sexta-feira do mês. Já no momento do lançamento do indicador (varia entre 9:30h e 11:30h, conforme o horário de verão), já afeta decisivamente o mercado, gerando alta volatilidade especialmente no câmbio (dólar futuro).

  • FED e taxa de juros

A taxa de juros mais importante do globo terrestre é a norte-americana. Como há alta confiabilidade para com a economia dos EUA, os participantes do mercado.sempre ficam de olho nos desdobramentos do FED, FOMC e suas respectivas decisões. Quanto mais alta a taxa de juros norte-americana, teoricamente é um fato ruim para as economias emergentes. Por princípio nesse caso, há mais saída de dinheiros dessas economias para os EUA.

  • Indicadores da economia chinesa

Alguns indicadores da economia chinesa ajudam a nosso IBOV, uma vez que a China é um parceiro comercial brasileiro muito forte. Ficar de olho no PIB chinês, no preço do minério de ferro e nas expectativas quanto a economia chinesa, é importante para ficar atento aos possíveis impactos no Brasil.

  • Notícias

Sempre fique conectado à principais notícias. Saber o que o mercado está olhando é fundamental para entender o que é relevante para o momento. às vezes os indicadores econômicos apontam para um lado, mas o mercado está olhando para um pontos específico do cenário, como reformas, acordos, eleições e outros grandes eventos.

Essas grandes decisões são o que movem os mercados de maneira estrutural, afetando geralmente todos ativos da Bolsa, com maior ou menor grau.

Entenda por que a liquidez é importante

A liquidez é mais um dos principais pontos para escolher um ativo para operar. Um bom ativo para operar é um ativo líquido, ou seja, que tem bastante negociação e que tenha bastantes ofertas para que você consiga abrir e fechar posições com facilidade. A liquidez, então, está relacionada a negociação e ofertas.

Aprofundando, basicamente são 4 pontos que fazem um ativo ser considerado líquido: spread bid-ask curto, volume de ofertas significativo, resiliência de ofertas e alto volume de negociação.

Spread bid-ask

O spread bid-ask é o preço de diferente entre a melhor oferta de compra e a melhor oferta de venda. Quanto mais próximos forem as ofertas de compra ou venda ou seja, quanto mais alto for o preço das ofertas de compra e mais baixos os preços das ofertas de venda, menor é esse spread.

Ativos líquido, como dólar, ações de blue-chips e minicontratos tendem a ter o spread mínimo, que é exatamente o tick daquele mercado (0,5 ponto no dólar/mini dólar, 1 centavo em ações e 5 pontos no mini-índice).

Alguns eventos podem afetar o spread, como o momento de abertura do mercado e momentos de alta volatilidade gerados por notícias, ou momento pré-lançamento de indicadores. Fique atento que até mesmo ativos considerados líquidos são afetados nesses casos.

Volume de ofertas

O volume de ofertas é a composição do Book de Ofertas (onde se apresentam as ofertas do ativo) de um ativo. Um ativo com boa liquidez é aquele que tem ofertas significativas, ou seja, há muitos players ofertando um bom volume. As ofertas são importante para dar mais oportunidade para compras e vendas de alto lote, ou seja, muitos players podem comprar no preço R$ 25,00 pois há muitas ofertas disponíveis nesse nível de preço.

Resiliência das ofertas

Ocorreram agressões significativas e as ofertas sumiram? Então o ativo pode ser considerado não-líquido. Um ativo líquido é aquele que mesmo se o mercado está subindo ou descendo, recompõe rapidamente com novas ofertas de compra e de venda.

Volume de negociação

Quanto maior o volume de negociação de um ativo, provavelmente mais players estão interessados naquele ativo. Isso é bom para fomentar a entrada de novos players. Então se você é trader, quer estar em um ambiente onde desejam negociar com você correto? Um ativo com baixa negociação, não favorece o trade, pois não há participantes interessados em comprar e vender.

Compreenda a força da volatilidade

É importante, além de entender o contexto macro e verificar se o ativo possui boa liquidez, que haja volatilidade. A volatilidade é a movimentação de preços. Você deseja operar e especular, certo? Então, é preciso encontrar boas oportunidades de compra e venda. Essas boas oportunidades só podem ocorrer se o mercado muda bastante de preço.

Um ativo “travado” que tem pouca ou nenhuma movimentação no dia, é difícil de operar. Pode favorecer operações com período mais longo, mas certamente não favorecem operações curtas,

Lembra que comentamos que um ativo sempre tem um contexto? O contexto do ativo é o que gera maior ou menor volatilidade. Quanto maior a incerteza em relação a um ativo, maior tende ser a volatilidade. O dólar, por exemplo, depende de diversas questões internas e externas. Isso gera expectativas muito diferentes nos participantes, a curto, médio e longo prazo. O resultado é a forte variação de preços.

Também, eventos específicos geram maior volatilidade nos ativos, especialmente quando as projeções não são cumpridas, ou seja, o mercado espera uma coisa, mas acontece outra. Cuidado nesses casos! Às vezes a volatilidade é tão grande que os stops pulam e não dá pra operar com qualidade. Filtre bem esses momentos.

Calcule quanto dinheiro você tem disponível

Para quem deseja entrar na Bolsa, uma dúvida é comum: quanto dinheiro preciso? Isso é fundamental para entender os diferentes ativos para operar. Há ativos mais baratos e mais caros. No day-trade, hoje as margens operacionais são baixas para mini-contratos e ações.

Contratos futuros (cheios) também não é alto, como já foi, mas a variação de um contrato cheio pode chegar a R$ 125,00 no tick mínimo. Ou seja: uma mínima variação do mercado pode fazer você ganhar ou perder esse valor. Para o trader que está começando, não vale a pena iniciar nesse ativo.

Com o valor de R$ 1000,00 já é possível realizar operações com tranquilidade e qualidade nos mais variados ativos. Verifique com a corretora as margens trabalhadas e veja o que cabe no seu bolso.

E que ativos possuem essas características?

Em regra geral, essas características favorecem operações com timeframes mais curtos como day-trades e swing-trades de poucos dias. Para investimento, essas características seguem sendo importantes, mas não tem o mesmo peso, uma vez que o investidor busca o valor do ativo no tempo, então não vai comprar e vender em alta frequência.

Para essas operações mais curtas, os ativos que mais favorecem são os minicontratos, contratos futuros e ações que compõe o IBOV ou o IBrX 100.

Mas, utilize esses conhecimentos para estudar a Bolsa e verificar o que mais se encaixa no seu perfil de trader!

Nesse conteúdo te ensinamos todos os detalhes para você escolher um ativo! Siga acompanhando nossos materiais e continue estudando para chegar à alta performance. Para seguir com qualidade, entenda os principais motivos que fazem o mercado oscilar!