View Blog 065
View Blog 065

Devo investir em bitcoin? 4 aspectos que você deve avaliar!

Como todo bom trader, você certamente se mantém informado e já ouviu falar bastante sobre os bitcoins, não é mesmo? Esse assunto desperta algumas dúvidas e causa incertezas ao pensar se vale apenas operar com esse tipo de ativo.

Há uma série de questões que precisam ser melhor compreendidas e levadas em consideração antes de tomar a decisão sobre operar com bitcoin. Ele tem características bem específicas e deve ser conhecido a fundo.

Este post traz informações importantes para esclarecer suas dúvidas sobre o tema. Veja, a seguir, quatro aspectos que você deve avaliar sobre o bitcoin!

1. O que são bitcoins

O volume de notícias sobre os bitcoins cresce constantemente, muito por conta de sua valorização e, recentemente, também por conta de sua queda após bons períodos de alta. Você sabe, de fato, o que é o bitcoin?

Esse ativo tem uma denominação mais bem difundida que ajuda a entender o que ele é: criptomoeda. Esse conceito classifica o bitcoin como uma moeda digital, criada com base em um pensamento tecnológico, visando um futuro em que o dinheiro será desse tipo — ou seja, será possível pagar qualquer tipo de coisa com o bitcoin.

A grande diferença dessa moeda para as outras é justamente o ambiente em que ela é manipulada. Nas ruas, por exemplo, podem existir dólares, reais, euro ou qualquer outro tipo de moeda, de acordo com a localização. Já o bitcoin concentra toda sua existência no âmbito digital. Fisicamente ela não existe.

Quando pensados em um contexto de trading, os bitcoins são ativos que têm uma variação de preço normal, sempre entendida pelo valor total de 1 bitcoin. Se um trader compra, por exemplo, 0,25% de 1 bitcoin, ele paga o valor proporcional a essa quantia e opera com essa sua “fatia”.

Não há um “Banco Central”

No Brasil, o Banco Central é a entidade responsável por controlar as atividades do real — moeda nativa — e tudo relacionado a ela. Um dos principais fatores de diferenciação do bitcoin é justamente inexistência de alguma instituição que faça o papel de Banco Central, regulamentando as operações com a moeda. Ou seja, ela é descentralizada.

2. O perfil dos traders que investem na criptomoeda

O bitcoin teve um grande crescimento como a principal criptomoeda disponível recentemente. A partir de 2018, seu valor teve exponencial crescimento, muito por conta de uma procura cada vez maior de novas pessoas — algumas até mesmo com pouca ou quase nenhuma experiência em trading.

Saiba mais:

A mobilização em torno do bitcoin

Uma questão relevante é que o bitcoin obteve boa parte do crescimento com base simplesmente em especulação, seja pelo número de interessados em comprar, seja pela grande divulgação da mídia sobre essa criptomoeda. Uma prova disso é que atualmente há o dobro de CPFs operando em bitcoin se comparado ao número de traders na bolsa.

O trader assume um risco alto

Todo esse cenário deixa claro que, atualmente, quem opera com bitcoin tem um perfil de trader agressivo, que busca capitalizar por meio das oscilações que toda essa especulação proporciona.

Em um exemplo, você não pode ainda chegar em qualquer mercado e pagar as compras do mês com o seu bitcoin. É importante saber que, do mesmo modo que ele teve sua alta promovida por especulação, o bitcoin pode sofrer uma queda nos mesmos moldes. É por isso que muita gente o considera uma bolha econômica.

O trader de perfil agressivo tem consciência de que as operações com bitcoin ainda são de alto risco — devido à credibilidade em construção da criptomoeda — e assumem uma possibilidade de risco maior para se aproveitar de boas margens de lucro.

3. Os riscos de operar com bitcoin

Assim como todo trading que depende de especulação, os bitcoins possuem maior vulnerabilidade de preços e estão mais suscetíveis às oscilações de seu mercado. Isso faz com que os riscos sejam mais altos — eles devem ser bem mensurados para que o trader possa saber exatamente o que esperar quando começar a operar com a criptomoeda.

Imprevisibilidade

O bitcoin é uma criptomoeda feita com base na tecnologia Blockchain, que oferece toda segurança nas operações e na administração dessa moeda. O fato é que outras criptomoedas existem e mais outras ainda podem surgir — o que não garante que os bitcoins reinarão soberanos por longo prazo.

Essa imprevisibilidade sobre o mercado de moedas digitais se configura como um risco, pois, futuramente, pode ser que outra criptomoeda assuma o posto do bitcoin..

Especulação

Como citado, a especulação é a grande base da subida nos valores dos bitcoins. Percebendo isso, muitos traders resolveram aproveitar o movimento desse mercado, alimentando esse interesse e especulando ainda mais, comprando nas máximas.

A grande questão é: até quando esses valores vão se sustentar? Pode ser que no futuro esse mercado não sustente esses grandes valores que estão sendo operados agora, causando uma queda brusca ou até mesmo revelando uma bolha financeira que pode estourar. Por outro lado, pode ser que um investimento agora gere altíssimos ganhos, para, literalmente, aposentar muitos traders do mercado.

4. Os benefícios da criptomoeda

Como toda operação de trading, a atuação com bitcoins também tem seu lado positivo, que precisam ser avaliados com muito cuidado para aproveitar o melhor que esse mercado oferece. Você já conheceu os riscos, agora veja quais fatores podem te deixar perto dos bons resultados. 

A descentralização do controle

Você já entendeu que o mercado de bitcoin é descentralizado, sem uma instituição superior. Agora é hora de entender como isso é benéfico. O Blockchain é a base para que isso aconteça, pois ele é uma tecnologia segura e que permite que essa descentralização ocorra sem maiores problemas.

Quando o governo não regulamenta as operações financeiras com os bitcoins, os ganhos sempre serão maiores e o controle feito de forma interna, pelo próprio mercado, é muito mais tranquilo. Assim, o trader tem segurança para operar e também tem a certeza de menos taxas — consequentemente, tem ganhos mais interessantes.

Transações únicas

Visando a segurança do patrimônio, o Blockchain protege os traders da possibilidade de gasto duplo nas transações que forem realizadas. Isso é possível devido ao fato de cada uma dessas operações acontecerem de forma única, prevenindo esse erro de forma eficiente.

Sigilo de informações

As informações acerca de patrimônios são vulneráveis em um certo momento no mercado financeiro, o que é um tanto quanto desagradável. Quando se trata de criptomoedas, essa situação é controlada de forma eficiente, com mais sigilo e proteção a esse tipo de dados, mais uma vez graças à tecnologia Blockchain.

Fuga da inflação

A descentralização do controle das criptomoedas também ganha no quesito da inflação, reduzindo essa possibilidade, pois não há instituição centralizada ampliando o número de bitcoins.

O trading com bitcoins é uma possibilidade real e que cresce em ritmo acelerado. Entretanto, é importante avaliar essa possibilidade com cuidado diante dos aspectos demonstrados neste conteúdo.

Outros posts como este podem ajudar bastante a jornada de um trader! Quer ter acesso a eles? Assine a nossa newsletter e receba tudo diretamente no seu e-mail!