View Blog 014
View Blog 014

Dólar futuro: tudo o que você sempre quis saber e ninguém te contou

O dólar futuro é um dos principais ativos do mercado financeiro. Em resumo, é um contrato de compra e venda de um determinada quantidade de dólares em um preço e datas definidos. Quem compra, acredita que esse ativo irá se valorizar no futuro; quem vende, acredita que esse ativo vai se desvalorizar no futuro.

Mas para além dos conceitos, saiba que há uma série de segredos sobre esse derivativo: além de ser operado por grandes players, pode ser utilizado tanto para especulação como para hedge! Quer saber tudo a respeito desse tema e ficar especialista no assunto? Então leia esse artigo completo da Nelogica!

O que é dólar futuro?

O dólar futuro é também chamado de contrato futuro de dólar comercial. É um derivativo negociado no mercado futuro, em que compradores e vendedores se comprometem a negociar uma quantidade de dólares a um preço acordado no presente para uma data determinada futura.

Todo contrato futuro possui vencimento. Se no dia do vencimento o dólar futuro estiver a um preço acima do valor da negociação, o comprador se beneficia. Do contrário, o vendedor se beneficia.

Na prática, quando se negocia o dólar futuro, está se negociando uma taxa de câmbio de reais por dólar comercial, cujo tamanho-padrão do contrato é de US$ 50.000,00. Como o lote mínimo de negociação desse ativo é de 5 contratos, na prática se negocia, no mínimo, US$ 250.000,00.

Como todo ativo do mercado futuro, a negociação ocorre por contratos que possuem vencimento definido. No caso do dólar futuro, o vencimento sempre ocorre no 1º dia útil do mês. Veja abaixo uma tabela completa com as especificações desse ativo:

Especificações do Dólar Futuro
Especificações do Dólar Futuro

Ainda assim, algumas dúvidas podem surgir a respeito desse ativo. Entenda abaixo a lógica por trás do dólar futuro.

Quando compro (vendo) dólar futuro, estou comprando (vendendo) dólares?

Esse é uma das dúvidas mais comuns de quem está começando a operar o dólar futuro. Quando se negocia o dólar futuro, não está se comprando ou vendendo a moeda em espécie (moeda física). Como é uma negociação de um contrato futuro e a liquidação é financeira (em reais), não há necessidade de ter dólares em conta para realizar essa operação na Bolsa.

Isso é uma característica dos derivativos: o dólar futuro nada mais é que um derivativo do dólar à vista, um contrato baseado no preço do dólar à vista.

“Como posso vender algo que eu não tenho?”

Outra dúvida comum é entender como se pode entrar vendido em uma operação em dólar futuro. Ou seja, mesmo sem ter o ativo, é possível vendê-lo. Como isso ocorre? Isso é possível, porque no mercado futuro e nos derivativos, abrem-se posições de compra e venda. 

Como não é necessário ter a moeda física (não se negocia a moeda física, mas um contrato que reflete a expectativa do valor do dólar), é possível tentar aproveitar tanto a alta como a queda desse ativo.

Lembre-se, então: no mercado futuro, é possível vender algo sem ter comprado antes.

Quais são os tipos de negociação com dólar futuro?

O mercado financeiro é muito rico exatamente por possibilitar uma série de operações com objetivos diferentes nos ativos. E no dólar futuro, as possibilidades são diversas. Entre os tipos de operação mais conhecidos, destacam a especulação, hedge e arbitragem.

Especulação

É a operação mais comum para a pessoa física, mas também muito realizada por players institucionais, como bancos e fundos. Seu objetivo é o lucro a partir de compra a preço baixo e venda por valor mais elevado, ou pela venda a preço alto e recompra a preço baixo.

Os traders, que são os especuladores, assumem o risco apostando na direção do mercado. Também, como há grande alavancagem no dólar futuro (que é poder operar com um valor maior que o próprio patrimônio) os ganhos são potencialmente muito grandes.

Hedge

Hedge significa proteção. Quem realiza o hedge tem como objetivo proteger o seu patrimônio. Geralmente, é realizada por empresas que possuem receitas, despesas ou patrimônio atrelados ao dólar. 

Um exemplo é uma empresa com dívidas em dólar que deseja evitar a depreciação do câmbio — ou seja, o aumento do preço da moeda norte-americana em relação ao real — para que sua dívida não aumente quando convertida para o real.

Nesse caso, a empresa compra dólar futuro, travando o seu resultado operacional. Assim, se o valor do dólar subir, o valor total das dívidas é maior, mas a empresa ganha no aumento de preço do dólar. Se, porventura, o dólar cair, a empresa perde na operação com dólar futuro, mas ao mesmo tempo o valor total de suas dívidas cai.

Arbitragem

Essa modalidade é mais executada por grandes players — como bancos —, que buscam explorar a diferença do dólar em diferentes temporalidades como, por exemplo, mercados à vista e futuro. Geralmente, buscam lucros baixos e com menor risco de mercado. Por isso, procuram possíveis distorções de preços ou erros de precificação de ativos para aprimorar sua estratégia.

Quais são os participantes do mercado de dólar futuro?

A B3 (Bolsa de Valores) possui uma definição de quem são os participantes do mercado de dólar futuro. Inclusive, lança periodicamente o quanto percentualmente esses participantes fizeram parte do dólar futuro no dia (ex.: estrangeiros negociaram no dia 30% do volume total).

Seguem os participantes do dólar:

Instituições jurídicas financeiras: São os bancos e as corretoras.

• Investidores Institucionais: Fundos de investimentos e fundos de pensão.

• Não-residentes: São os estrangeiros, em que se destacam os grandes fundos de investimentos estrangeiros, fundos soberanos e demais grandes empresas de gestão financeira estrangeira.

• Empresas não-financeiras: São empresas que operam no ativo, sem que haja vínculo bancário direto.

• Pessoa-física: É o trader comum. Entre eles, se destaca o day-trader, que é aquele que realiza operações durante todo o dia 

Entre os participantes, a pessoa-física é o clássico especulador. O trader busca realizar operações no dólar futuro que visam o lucro. Comprando a preços baixos, vendendo a preços altos e se protegendo com stops e gestão de risco

Quer conhecer mais a respeito desse mercado? Para entender de forma definitiva como operar no dólar futuro, leia o próximo tópico!

Deseja operar dólar futuro? Comece por aqui!

Para operar dólar futuro, certamente a modalidade de especulador acaba sendo uma vantagem. Um perfil muito comum é a de day-trader. O day-trader é aquele que realiza operações ao longo de um dia, abrindo e fechando posições dentro de um dia.

Não adianta apenas conhecer alguma técnica operacional: é preciso entender a fundo os detalhes do ativo exatamente para extrair dele as informações necessárias para seu trading de qualidade.

Então, separamos todas as dicas para você entender de vez esse ativo e como lucrar com ele! Acompanhe.

Passo a passo para começar a operar

Para quem está começando, a dica é realizar o teste de uma plataforma profissional como o Profit, e realizar testes de estratégias na conta de simulação e no replay. Assim, não é necessário aplicar dinheiro já na entrada na Bolsa. Isso evita perdas desnecessárias no começo.

 Utilizando uma plataforma profissional, também, você vai entender os principais recursos necessários para operações day-trade. Chart Trading, SuperDOM, Gráfico Renko, Livro de Ofertas e Times and Trades são alguns desses recursos úteis para operações em dólar futuro.

Dessa maneira, pode testar estratégias, entender a dinâmica do ativo e treinar antes de aplicar o seu dinheiro real na Bolsa. Após testar e entender o mercado, abra conta em uma corretora parceira da Nelogica para colocar seu dinheiro de fato no mercado.

Alavancagem, margem e valor do tick-size

Entender o conceito de alavancagem é crucial para o dólar futuro. Isso acontece porque é uma negociação de US$ 250.000,00. Porém, não é necessário ter todo esse valor em conta, mas uma fração disso, que é definido pela corretora. 

Você acompanhou na tabela do tópico “O que é dólar futuro?” que a variação mínima do dólar ocorre de 0,5 em 0,5 ponto. Essa variação mínima com o lote mínimo (ou seja, 5 contratos) equivale a R$ 125,00. 

Qual a relação desses pontos com a alavancagem? Você precisa ter uma fração de US$ 250.000,00 para operar o dólar futuro, por exemplo, ter em conta R$ 2.500,00. Isso significa que com R$ 2,500,00 você pode movimentar US$ 250.000,00. Mais que isso, ao ganhar 0,5 ponto pode ter uma rentabilidade de R$ 125,00.

Não é incrível? Com R$ 2.500,00 (ou outro valor, pois depende de corretora para corretora), em um ganho mínimo, você pode ter retorno de 5% sobre o capital. Isso em fração de segundos.

O poder da alavancagem é exatamente esse: proporcionar resultados que não seriam possíveis sem ela. Mas é necessário muito cuidado: ao mesmo tempo que se pode ter ganho, também há possibilidade de perdas. Logo, é possível ter severas perdas caso não haja gestão de risco, por isso, tome cuidado e estude bem as operações que você fará no dólar.

Mesmo assim, é importante que você saiba que já existe uma opção que permite que você faça parte do mercado de dólar, mas com valores menores e de maneira muito mais acessível: os minicontratos.

Minicontratos: a solução para pessoa-física

A margem de garantia para o dólar futuro, mesmo com as melhores condições possíveis feitas pelas corretoras, ainda acaba sendo alto. Lembre-se que estamos falando de uma alavancagem de US$ 250.000,00, Os minicontratos surgem como uma excelente alternativa para quem está começando.

Os minicontratos, nesse caso o minidólar, são ativos que foram criados pela Bolsa para dar acesso ao público de traders pessoa-física. Ele é um derivativo do dólar futuro. O preço de um ativo tende a replicar o outro. Hoje, tendo R$ 300,00 (em alguns casos menos), já é possível fazer parte do mundo dos minicontratos.

Assim, com um tick-size com lote-mínimo que corresponde a R$ 5,00, é possível ter bons resultados sem se expor demais ao mercado. O contrato de minidólar é 25x menor que o contrato padrão.

Se você está começando (e certamente, terá um longo tempo de maturação) é fundamental que comece operando minicontratos e não o contrato padrão. Ou seja, comece operando o mini-dólar e não o dólar futuro.

Exemplo de operação com dólar futuro e com minidólar

Vamos agora para exemplos práticos de operação com dólar futuro. 

Compra de dólar futuro: Supondo que um trader tenha comprado 10 contratos de dólar a R$ 4.182,00 e tenha vendido esses 10 contratos a 4.185,00. Nesse caso, ele ganhou 3 pontos de dólar (4.185,00 – 4.182), o equivalente a 6 ticks. O valor do tick é de R$ 125,00, são 6 ticks de ganho, então, a princípio o ganho é de R$ 750,00. 

Porém, foi negociado não o lote-mínimo de 5 contratos, mas sim 10 contratos. Nesse caso, o valor é dobrado, então o ganho é de R$ 1.500,00.

Agora, vamos para o exemplo do minidólar: supondo que um day-trader tenha vendido 8 minicontratos de minidólar a R$ 4.190,00 e comprado a R$ R$ 4.184,00. O valor do tick é de R$ 5,00. O trader ganhou 6 pontos, que é o equivalente a 12 ticks, logo, teoricamente seria o ganho de R$ 60,00. 

No entanto, foram 8 minicontratos negociados. Nesse caso, é o valor de R$ 60,00 multiplicado por 8. O trader obteve ganho de R$ 480,00 nessa operação.

Benefícios de operar dólar futuro

Para day-trade é fundamental escolher um bom ativo para esse tipo de operação. Algumas características fazem alguns ativos serem melhores para day-trade. Entre eles, a liquidez e a volatilidade.

A liquidez está relacionada a quanto um ativo é negociado ao longo de um dia e o quanto ele tem de volume de ofertas. Se um ativo é líquido, há várias negociações no dia, indicando que os participantes tem interesse em negociar esse ativo. Também, o ativo que tem muitas ofertas no book é mais fácil para realizar operações day-trade, em que o spread geralmente é mais curto.

Imagine que você vai comprar um ativo ao preço de R$ 20,00. Se não houver outros participantes querendo vender a R$ 21, R$ 22, e assim sucessivamente, para operações rápidas e curtas, é um ativo que não serve pro day -trade. Não é o caso do dólar e do minidólar: esses ativos são líquidos, possibilitando várias operações ao longo de um dia de forma simples e rápida.

A volatilidade é outro fator fundamental para day-trade. Ela indica a movimentação do ativo ao longo do dia. Se há movimentação, ou seja, se há volatilidade, é possível comprar a um preço baixo e vender a um preço alto.

Ser um ativo volátil faz parte da realidade do dólar futuro, pois há muitos players interessados na compra e na venda. Com a alta movimentação, isso faz dele um ativo excelente para day-trade.

Se você deseja acompanhar alguma técnica sobre operar dólar futuro, leia mais sobre tape reading e análise gráfica.

Macroeconomia do dólar: os fundamentos para operar esse ativo

Para operar qualquer ativo no mercado financeiro é necessário conhecer com detalhes os fundamentos macroeconômicos dele. No dólar os fundamentos macroeconômicos são ainda mais importantes! O dólar é a moeda mais importante do mundo, e é referência para toda qualquer taxa cambial. O valor do câmbio reflete a expectativa dos players quanto à economia global.

O dólar é também a moeda utilizada para fechamento de contratos comerciais no mundo todo. Ou seja, têm preferência em relação a outras moedas. Isso se chama preferência de liquidez. Então, em relação ao real, por exemplo, o dólar têm preferência de liquidez.

Em termos práticos, os grandes players “correm” para o dólar em tempos de crise, pois é uma moeda considerada mais segura. Isso normalmente causa a desvalorização cambial, ou seja, o dólar se aprecia em relação ao real.

Para um trader é fundamental saber disso, exatamente para conseguir ajustar suas posições e suas estratégias a partir dos cenários econômicos que afetam o ativo que ele opera. E o que mais ficar de olho? Entenda abaixo.

A importância do cenário doméstico no preço do dólar

O cenário doméstico, nesse caso brasileiro, é muito importante para o dólar. Os grandes investidores internacionais olham para as economias emergentes, como a brasileira, e precificam o câmbio diante de vários fatores.

É muito importante ficar de olho no cenário político-econômico: crises políticas geralmente deixam os players do mercado mais temerosos, gerando uma corrida ao dólar. Essa corrida ao dólar, faz o valor do dólar subir.

As notícias são geralmente a pauta do mercado, então é importante que o trader esteja sempre conectado com notícias, interpretando o que é mais importante no momento. Eleições, propostas de reforma e acordos comerciais, geralmente são pautas comuns que afetam o câmbio.

Indicadores econômicos internos também podem afetar o câmbio: Risco-Brasil, PIB, SELIC são alguns dos tópicos que recorrentemente podem afetar a maneira que o investidor externo vê a economia brasileira. Então, podem influenciar a precificação cambial.

Cenário externo: um fator fundamental para o dólar

Não há dúvidas que o cenário externo influencia de forma decisiva o câmbio e consequentemente o dólar futuro. Lembre-se que o dólar é uma moeda global e está relacionada diretamente a todas economias. Assim, todo trader deve estar atento ao cenário político-econômico mundial.

Fique ligado nas notícias diárias envolvendo a política norte-americana, europeia e chinesa. Grandes acordos ou guerras comerciais, falas de presidentes de países e de bancos centrais (como do FED) e também breaking news afetam diretamente a precificação do dólar futuro.

É muito importante também identificar como estão as moedas dos emergentes. Novamente, o investidor estrangeiro muitas vezes olha cestas de moedas emergentes para identificar como está o mercado de maneira geral em relação ao dólar. Estar atento a mudanças bruscas no âmbito global, faz o trader ficar conectado com o resto do mundo de maneira prática.

Além das notícias, saiba que há indicadores que são muito relevantes para o operador de dólar. Payroll, taxa de juros do FED e PIB americano geralmente acabam gerando imediato efeito no dólar. 

Também, o dólar possui alguns segredos especiais em relação aos outros ativos. Leia no próximo tópico outros detalhes fundamentais para você que deseja operar esse ativo!

4 segredos do dólar futuro

Ao longo do texto você leu algumas dicas sobre como existem particularidades sobre o dólar futuro. Alguns especialistas entendem que é um ativo com muita divergência de opinião: como há muitos players grandes interessados no preço do dólar diariamente, é um ativo volátil e suscetível a bruscas mudanças de preço.

Tem objetivo de de operar dólar futuro? Então você precisa conhecer alguns desses importantes detalhes.  Conhecer a PTAX, a importância do investidor estrangeiro e o ajuste fazem diferença no dia a dia do trader, entre outros fatores. Confira as dicas abaixo!

Investidor estrangeiro: o grande participante do dólar

O cenário externo sem dúvida afeta o preço do dólar de maneira decisiva. Por ser uma moeda de projeção global, todas as outras moedas são comparadas com o dólar diariamente.

O investidor internacional fica de olho em tudo o que está acontecendo: as grandes notícias e decisões políticas e econômicas podem afetar a percepção de risco desses players. Isso na prática significa que eles irão comprar mais ou vender mais o dólar.

No caso do dólar futuro, a liquidez e a facilidade de operar esses mercado faz com que seja um grande ativo para o investidor estrangeiro. Muitas vezes, a entrada do investidor estrangeiro no Brasil ocorre na compra e na venda do dólar futuro.

Por números da Bolsa, os participantes estrangeiros às vezes batem quase 50% do volume negociado diário do dólar futuro! Obviamente, ficar atento a esses players faz toda a diferença. 

Se você utiliza tape reading e microestrutura de mercado para identificar oportunidades de compra e venda no dólar futuro, fique atento ao investidor estrangeiro. No próprio site da Bolsa há informações de quais corretoras atendem estrangeiros.

Incluídos no participante estrangeiro estão grandes fundos de investimento e brokers com altíssimo poder financeiro. Eles podem tranquilamente levar o mercado para o patamar que quiserem.

A importância da PTAX

A PTAX é uma taxa de referência para o valor do dólar calculada pelo Banco Central. O cálculo é realizado em 4 janelas diárias (das 10h às 10:10h, 11h às 11:10, 12h ao 12:10, 13h ao 13:10h). Após isso é lançada a PTAX oficial do dia. Para chegar a esse cálculo, o Banco Central consulta seus dealers,  que são os players que atuam pelo BC no dólar futuro, e então chega ao “valor justo”.

Qual o motivo da PTAX ser tão importante? A PTAX é uma taxa utilizada como referência para fechamento de contratos cambiais. Para o trader, há um grande diferencial: na rolagem do dólar futuro, que é quando se acaba a negociação de um contrato e se inicia a negociação de outro contrato, é normalmente um momento de muita volatilidade no mercado. 

No momento do cálculo da PTAX, o valor do dólar que sair será  referência para o fechamento desses contratos ao longo do próximo mês. Naturalmente, há muitos participantes interessados que o dólar caia e muito outros que ele suba!

Então se você for operar o dólar já se prepare: as formações da PTAX no dia de rolagem, já começando pela primeira, geralmente deixa esse ativo com muita negociações e muito lote no livro de ofertas.

Ajuste, um preço de referência para o dólar futuro

O ajuste é um mecanismo da Bolsa criado para ativos do mercado futuro. Ele é um cálculo realizado pela Bolsa diariamente. Para quem carrega posição no mercado futuro, ou seja dorme comprado ou vendido, há uma alteração do preço dessa posição para o preço do ajuste no dia seguinte. 

Um exemplo bem didático: ontem, você comprou 1 minidólar no preço R$ 4.110,00 não zerou a posição no dia e dormiu comprado. O  cálculo do ajuste foi de R$ 4.115,00. Amanhã a sua posição vai estar ajustada para R$ 4.115,00. Essa diferença de 5 pontos, nesse caso, você receberia como lucro.

Mas por que o ajuste é importante?  Todos os players que montaram grandes posições de compra e venda, no momento que passa um dia, abrem o dia seguinte comprados e vendidos no mesmo preço. Ou seja, é uma grande referência de suporte ou resistência no dia.

Normalmente, o ajuste é uma região de muita briga, pois todos que estão posicionados na compra não querem que o preço fique para baixo do ajuste e quem está vendido não quer que fique acima do ajuste. Ninguém que perder. Logo, há interesse dos players? Então há oportunidade.

Fique atento a esse atributo e analise sempre antes do dia qual o valor do ajuste.

Dólar é ativo de volatilidade ou de tendência?

Uma grande dúvida do trader é tentar identificar se um ativo está em tendência ou está consolidado. Isso faz total diferença na hora de operar esse ativo: se for um mercado de tendência de alta, por exemplo. vai tentar encontrar bons pontos de compra. Se o mercado estiver consolidado, operar nas extremidades de preço do ativo faz total diferença.

Como saber se o dólar é mais favorável para a tendência ou para a consolidação? Depende do contexto dele! 

Para uma moeda valorizar demais em relação a outra moeda, certamente tem que haver algum motivo em especial. Não é possível uma moeda valorizar sempre em relação a outra. Por isso, se você percebe que há dias de tendência, fique ligado: certamente há algum motivo macroeconômico que está fazendo o dólar subir ou cair.

O dólar é um ativo clássico por operar dentro de faixas de preço. Quando está entre dois grandes preços, o chamado range, o dólar geralmente só sai dessa faixa de preço para trabalhar em uma nova faixa de preço ou porque houve algum motivo diferente.

Junte essas informações com a interpretação do cenário macro do dólar e também com suas técnicas, que certamente você conseguirá realizar operações ainda mais assertivas nesse ativo!

Nesse artigo, falamos todos os pontos mais importantes sobre o dólar futuro. Esse ativo é um dos preferidos dos day-traders e certamente possibilita diversas operações lucrativas e é uma boa alternativa para quem deseja viver da Bolsa de Valores.

Gostou desse conteúdo? Então siga nos acompanhando e leia mais sobre alguns filmes do mercado financeiro que você precisa assistir para entender esse mundo!