Martha Matsumura: “O mercado é o mesmo para todos, mas a interpretação sobre ele é o que nos diferencia”

Confira a entrevista com a analista financeira da XP, Martha Matsumura, sobre sua atuação no mundo da renda variável

Última atualização:

Todo mundo entra para o mercado financeiro pensando em ganhar dinheiro, mas são poucos os que encontram um método operacional próprio, um estilo que dá certo, forjado em tudo o que o operador já viveu na bolsa de valores. Mas esse é sim o caso da analista financeira, Martha Matsumura, que ao longo de mais de uma década de atuação sempre buscou fugir do óbvio ou até mesmo de simular métodos de outros operadores. Preferiu criar o seu!

Nada contra usar o método de terceiros, até porque o operador tem que seguir com o que dá certo para ele, mas eu prefiro encontrar e ir adaptando meu operacional de acordo com o que o mercado está me mostrando”, disse.

E o que faz da renda variável um manancial de oportunidades (e riscos), é justamente isso: a interpretação que as pessoas e empresas dão ao mercado. 

Como enfatiza a analista: “O mercado é o mesmo para todo mundo, o que você vê é o mesmo que eu vejo, mas a interpretação de cada um sobre ele é o que nos diferencia”.

Com mais de 13 anos de atuação, Matsumura adquiriu bastante experiência no ramo. Segundo ela, a beleza do mercado também está na liberdade que análise técnica traz e que permite diferentes combinações de olhares sobre um ativo. E esta é uma entre tantas liberdades que Martha não abre mão.

A carreira de analista, no entanto, começou com um interesse no mínimo peculiar, ainda na adolescência: entender como funciona a flutuação cambial. Por causa dele, foi morar no Japão, onde ficou por 4 anos estudando comércio exterior. Quando voltou ao Brasil, em 2009, foi fisgada pelo mundo da renda variável e dele nunca mais saiu. 

Neste artigo, você vai conhecer um pouco mais sobre a analista da XP Investimentos, Martha Matsumura! Ela participou de um bate-papo com a equipe de conteúdo da Nelogica sobre análise técnica e agora você confere alguns dos principais pontos da conversa!

Vamos lá!

 

Nelogica – Como é sua relação com traders e investidores iniciantes que buscam aprender com as suas operações ou até replicar seu método? Como é essa troca nas lives que você faz?

Martha Matsumura – É muito boa, tenho muitas interações, mas fui percebendo que elas eram majoritariamente com operadores homens, mesmo que muitas mulheres acompanhassem também as transmissões. Quando eu estava aprendendo sempre perguntei muito para meus professores e colegas, mas percebia as mulheres nas lives do Portal do Trader muito tímidas, talvez acanhadas de fazer uma pergunta de um nível iniciante, o que não teria problema nenhum. Por isso, em 2018 eu decidi criar um grupo só com mulheres para falar sobre análise técnica e mercado financeiro.

Eu abri o grupo, fui convidando as mulheres que estavam nas lives para participar e nós acabamos criando um ambiente de troca onde elas não se sentem acuadas. Podem perguntar o quanto quiserem sem medo de serem julgadas. O nosso grupo está ativo até hoje, e já teve mais de 100 mulheres. É um ambiente de troca experiências e análises do mercado. Atualmente, para entrar no grupo é preciso fazer um provinha de proficiência. 

 

Nelogica – O quão importante é, para alcançar bons resultados, que o trader imprima sua marca ao operar na bolsa de valores? Criar um estilo próprio é um fator chave para ser bem sucedido no mercado?

Martha Matsumura – Acredito que a criação de um estilo próprio operacional é uma característica minha, mas não acho que ela seja melhor do que outros métodos. Temos grandes nomes do mercado financeiro, traders de sucesso que ensinam seus métodos e para muitos que replicam dá certo, para outros não. Então isso é relativo. 

O mais importante é encontrar um lugar onde você se sinta confortável, sendo quem você é, porque muitas vezes a pessoa copia o operacional de alguém, mas continua inseguro e sem entender o que está acontecendo. Outra questão é seu perfil financeiro: é preciso operar a partir da sua margem de risco. Tentar replicar alguém com uma margem melhor que a sua pode não ser uma boa saída.  Eu prefiro encontrar e adaptar meu operacional de acordo com o que o mercado está me mostrando. Você não pode entrar em um negócio pensando em quanto você pode ganhar, mas sim em quanto você pode perder.

 

“O mercado é o mesmo para todo mundo, mas a interpretação de cada um sobre ele é o que nos diferencia”

 

Nelogica – Na sua percepção, como você diferencia a atuação de um trader institucional para um trader pessoa física em relação a nível de informação, volume de operações e diversificação da carteira?

Martha Matsumura – Acho que o investidor institucional e a pessoa física não estão competindo entre si, ambos entram com o mesmo intuito, que é fazer dinheiro. Na era da internet, a gente tem acesso à informação rápida, mas a diferença está, obviamente, na sua capacidade de discernir, o que é o que não é verdade, assim como o que faz preço ou não. Sobretudo, é preciso entender como funciona a psicologia do mercado e neste caso, a assimetria de informações tem pouca interferência. 

Mesmo assim, eu acredito que os investidores institucionais ainda têm mais vantagens. Pega o meu caso como exemplo: estou numa grande corretora, acesso diversos relatórios e tenho acesso a uma plataforma de notícias como a Bloomberg, que o pessoa física normalmente não tem. Então as notícias que eu recebo, ele vai receber com 10 a 15 minutos de atraso. 

No entanto, no caso dos traders, embora ter acesso à informações de impacto no mercado seja um diferencial, muitas vezes é o fluxo que vai orientar as operações dele, e daí receber essa informação primeiro não tem tanto peso. 

 

“O problema agora não é velocidade nem acesso à informação. Nossos problema são as fake news. Saber entender o que é informação e o que faz preço ou não.”

 

Nelogica – E como você analisa o mercado brasileiro em comparação com outros, internacionais?

Martha Matsumura – A gente tem um grande espaço para crescer enquanto mercado financeiro no Brasil, mas com isso também tudo ficará mais desafiador. Cerca de 4% da população investe ou opera em renda variável no país, então há um gap grande, mas quanto mais operadores preparados tecnicamente, menores serão as assimetrias com os outros mercados e também será menor a volatilidade da bolsa brasileira e será mais difícil fazer dinheiro.

Aqui é muito comum ver empresas oscilando 11% em um dia, o que no mercado dos EUA é muito mais difícil, a variação é bem menor. Então quanto mais o mercado se desenvolve, mais desafiador fica para fazer dinheiro. 

 

Nelogica –  Atualmente, um dos seus focos é no mercado de commodities, que não é muito popular entre os traders. O que te chama atenção neste mercado e quais as diferenças dele para as demais classes de ativos?

Martha Matsumura – O mercado de commodities tem uma margem muito pesada, então eu entendo que pouca gente participe, porque exige mais capital e um pouco mais de paciência em alguns momentos, embora ele seja bem mais fácil de entender a relação de oferta e demanda. Ele é influenciado por fatores que não mexem no diretamente no índice e dólar, por exemplo, ele é sazonal, é influenciado pelo regime de chuvas, intempéries climáticas, qualidade das safras, mas temas globais, como a Covid-19 por exemplo, influenciaram diretamente nas commodities também. 

Mesmo assim, quem deseja operar neste mercado só precisa entender mesmo a relação de risco e retorno e saber se vale para você. Ninguém precisa virar agricultor para operar contratos de milho ou boi gordo, da mesma forma que você não precisa ser contador para saber fazer balanço patrimonial. A análise técnica facilita muito a nossa vida por conta disso. Mas é, é bom, deve ter pelo menos uma noção do que move este mercado.

 

Nelogica – Momentos como o que estamos vivendo agora, com muitas incertezas sobre os rumos da economia e política, como afeta o dia a dia do mercado? O mercado de ações é um bom caminho independente do cenário externo?  

Martha MatsumuraEle vai ser bom ou não dependendo do tempo de retorno que o investidor busca ao entrar no mercado, então é muito difícil tratar sobre os riscos do mercado dessa maneira, já que cada um entra com uma cabeça. O investidor que vai comprar ações para retirar daqui a 15 anos e o que quer retirar daqui a oito meses vão ter respostas diferentes, e o mesmo vale para o day-trade.

O que eu posso dizer é que estamos no meio do furacão, como notícias sobre novos lockdowns na China em razão da Covid-19, o conflito no leste europeu se intensificando, o que vai pressionar os preços em todo mundo. Também temos mais investidores estrangeiros entrando na bolsa brasileira, dólar em queda, juros subindo no Brasil e nos EUA.

“Acredito que a palavra de ordem em 2022 para o mercado financeiro é volatilidade!”

 

Conclusão

Faça como a analista da XP e trader profissional, Martha Matsumura, e opere no mercado financeiro com o Profit, a plataforma mais completa de análise e disparo de operações para traders e investidores. Se você ainda não conhece o Profit, faça um TESTE GRÁTIS e conheça as vantagens de operar com as melhores ferramentas!

Se gostou dessa entrevista, siga conferindo o Blog da Nelogica para mais conteúdos sobre o mercado financeiro!

Até a próxima!