View Blog 059
View Blog 059

Gráfico de candles: conheça os padrões e descubra o que mais se adapta ao seu perfil!

O gráfico de candles é uma representação importante para a atuação dos traders. Afinal, ele é capaz de apontar visualmente formações diversas de determinado período e pode mostrar a fraqueza ou a força das compras e vendas — assim como o equilíbrio delas no mercado.

Neste artigo nós falaremos sobre o tema e abordaremos a importância dos gráficos de candles para uma estratégia de atuação bem-sucedida. Aqui você verá a que eles se referem, como eles são formados e quais padrões eles devem seguir. Acompanhe a leitura até o final e saiba mais!

O que é o gráfico de candles?

Gráficos podem ser representados de várias formas: com linhas, colunas, barras e de várias outras maneiras. No entanto, no mercado financeiro a formação gráfica mais usada é o candlestick — que, no Brasil, também é chamado de gráfico de “velas”.

Um gráfico de candle é caracterizado pelas formas retangulares verticalizadas e padronizadas. Nas extremidades do retângulo podem haver linhas (também chamadas de “pavios”), que representam os preços máximos e mínimos ofertados pelo ativo naquele candle.

Esse formato de gráfico permite que o trader tenha informações sobre a abertura e o fechamento do mercado, assim como a máxima e a mínima — tudo de acordo com a periodicidade definida previamente, o que possibilita uma análise muito mais precisa para guiar a tomada de decisões importantes.

Tradicionalmente, o mercado utiliza periodicidades temporais para os candles, sendo que é o trader quem controla o intervalo de tempo. Geralmente, são utilizados intervalos de 1 minuto, 5 minutos, 15 minutos, 30 minutos e 60 minutos quando se trata da periodicidade das análises técnicas.

Também é possível criar gráficos de candles atemporais e, nesse formato, as informações são baseadas nas variações do mercado. Além dos gráficos de candles também são usados os gráficos de linha e os gráficos montanha — este mostra o crescimento de um investimento ao longo do tempo.

Para que ele serve?

O gráfico de candles otimiza muito o trabalho do trader, pois concentra quatro tipos de informações relevantes para a sua estratégia em um único lugar. Esses dados, especialmente os relacionados ao fechamento e à abertura, podem ser identificados com clareza, ajudando o entendimento da movimentação do mercado no período definido, como, por exemplo, auxiliando a visualizar tendências.

Outro ponto relevante do gráfico de candle é a flexibilidade para escolher várias periodicidades para o acompanhamento das suas operações, assim como a possibilidade de adaptação fácil a ativos e estratégias diferentes.

O trader consegue fazer uma leitura mais precisa do mercado, identificando as seguintes informações:

  • pontos de cortes e resistência do mercado;
  • zonas de ranges do mercado;
  • máximas e mínimas históricas dos ativos.

Como ele é formado?

Os gráficos de candles são formados por aspectos técnicos e de periodicidade. A análise gráfica tenta identificar tendências, suas chances de reversões e consolidações, que podem ser acompanhadas por meio das figuras de canais, suporte e resistência.

Como o gráfico é adaptável ao padrão operacional do trader, é indicado que ele opere de acordo com suas necessidades. Isso é fundamental na hora de definir em qual perfil ele se encaixa melhor.

Na verdade, essa identificação é o primeiro passo a ser tomado, uma vez que a definição do gráfico deve estar alinhada aos objetivos traçados na estratégia. Para um scalper que opera pelo gráfico, por exemplo, é preferível escolher tempos mais curtos, pois a formação da temporalidade dos gráficos é rápida e se adaptará ao perfil dele.

Para o day trader que gosta de fazer operações mais alongadas, o mais indicado é fazer trades com tempos gráficos maiores, entre 15 a 30 minutos. Para quem escolhe operar em swing trade, que são operações mais longas, são usados gráficos de 60 minutos, diários, semanais ou mensais.

É importante ressaltar que, para uma análise macro e global, os gráficos mais longos também ajudam quem opera com gráficos curtos, pois conseguem identificar tendências maiores no mercado — o que na prática faz com que os gráficos se ajudem mutuamente.

Quais são os padrões?

Dentre vários padrões, os gráficos de candles mostram, basicamente, três aspectos:

  • os três estágios do mercado — tendência de alta, tendência de baixa ou consolidado (dentro da mesma faixa de preço). Em cada estágio existem padrões gráficos demonstrativos ao trader;

  • canais — momento em que o mercado está em uma tendência de alta ou baixa e, por isso, deve ficar dentro de uma mesma faixa de preço. O objetivo dos padrões de canais é identificar os melhores pontos de compra e venda de ativos, conforme a condições do momento;

  • suporte e resistência — é outra figura gráfica forte. O suporte (chão do mercado) ou resistência (teto do mercado) acontece sempre que, ao se aproximar de uma região de preço, o mercado é rejeitado e volta para a região anterior, não rompendo o piso nem o topo.

Neste artigo, nós falamos sobre o gráfico de candles, sua formação e sua importância para uma estratégia de sucesso no mercado. Com conhecimento e capacidade de análise, o trader pode alcançar bons resultados em seus investimentos. O importante é desenvolver gradativamente essa capacidade para que o uso das ferramentas disponíveis no mercado seja o melhor possível!

E então? Gostou de ter acesso a essas informações? Assine a nossa newsletter e receba em seu e-mail outros conteúdos relevantes, novidades sobre o mercado e sobre os nossos serviços!