View Blog 134
View Blog 134

O que o tape reading não é: conheça os principais erros conceituais

O conceito de tape reading pode parecer confuso, em especial, para os traders iniciantes ou sem experiência de atuação no mercado. Na maioria das vezes, os principais pontos de dúvidas estão relacionados à essência da leitura de fluxos e sua aplicação no mercado, como para confirmar o rompimento dos preços, entre outros pontos importantes entre os quais estão máximas, mínimas, ajustes etc.

Diante disso, é seguro afirmar que tão importante quanto saber o que é tape reading, é entender o que esse conceito não representa, a fim de evitar que o uso incorreto comprometa o retorno dos rendimentos, trazendo prejuízos significativos.

Para ajudar nessa questão, desenvolvemos este artigo, em que vamos abordar o tema e esclarecer dúvidas relacionadas ao tape reading e suas potencialidades. Siga conosco e aproveite a leitura!

Tape Reading não é setup

É muito importante que o trader entenda que tape reading não é a mesma coisa que o uso de um setup, uma vez que, no primeiro caso, as operações são feitas com base no fluxo momentâneo do mercado (que, geralmente, é rápido), enquanto os setups correspondem a uma forma de operação que engloba condições predefinidas de início e encerramento das operações.

Além disso, o tape reading envolve muito mais do que a análise de mercado e exige uma interpretação correta de seu contexto. Nesse sentido, podemos dizer, inclusive, que o tape reading pode ser aplicado para todos os ativos, desde que sejam ativos com liquidez.

Isso quer dizer que o tape reading não é um setup pronto nem um evento que vai fazer ele comprar ou vender, mas sim o evento dentro de um contexto. Para exemplificar, vamos pensar na seguinte situação: um trader determina que, no momento em que uma corretora X agredir 200 contratos, deverá acontecer a compra. Isso corresponde a um setup, pois o trader está vinculando sua operação ao fato de uma corretora agredir contratos na compra.

É preciso analisar, no entanto, o contexto, como está o ativo, como foi a dinâmica dos players, onde ocorreu o volume, as maiores ofertas, oportunidade de o preço correr etc. E é aí que entra o tape reading.

Como se trata de uma metodologia nova de análise de mercado, muitos traders fazem confusão na hora de usá-la no cotidiano. Para se ter uma ideia, aqui no Brasil, ela passou a ser aplicada mais fortemente somente há apenas três ou quatro anos, trazida por professores do mercado que já tinham experiência de mercado. Muitos deles vieram do pregão, enquanto outros operaram em grandes salas de trader no passado, então, têm uma bagagem de experiência muito grande.

Tape Reading não adivinha todos os movimentos do mercado

O tape reading não é uma maneira de adivinhar o mercado, mas sim uma metodologia como qualquer outra. Basicamente, ela corresponde a uma análise da movimentação, o que significa que não serve para adivinhar se o mercado vai tomar determinada atitude em detrimento de outra, e muito menos dar alguma certeza disso. É para operar o presente e tentar aproveitar as oportunidades do fluxo para realizar trades com uma boa efetividade.

Ela pode dar errado, porque não é possível analisar o mercado com 100% de acerto. Muitas pessoas podem até ter dificuldades em relação a isso, no sentido de que estão usando a metodologia, mas aparentemente pode não servir em um primeiro momento. Porém, é importante entender que, às vezes, a análise pode sim ser errada.

Como já dito, não há como fazer uma adivinhação ou esperar por algo capaz de resolver todas as situações, mas sim ver o tape reading como uma metodologia a mais que o mercado utiliza e os principais professores disponibilizam na atualidade.

Não é só o tape reading o responsável pelo sucesso dos traders

Esse é um ponto central que o trader precisa entender com clareza. A gestão de risco é fundamental para qualquer metodologia, uma vez que não nada adianta um trader ganhar muito em alguns momentos se ele não tiver uma gestão de risco capaz de equilibrar suas perdas, que também podem ser muito grandes.

Uma prova de que o gerenciamento correto dos riscos é fundamental para o sucesso — e que nem sempre ele é aplicado como deveria — é uma pesquisa inglesa que apontou que macacos tiveram índices de atuação superiores a traders na formação de carteiras na Bolsa de Valores.

Realizado pela universidade Cass Business School, de Londres, o estudo comparou a performance de carteiras de ativos escolhidas aleatoriamente pelos primatas com os índices de mercado no período de 1968 e 2011.

Os resultados apresentam que em um muito casos a aleatoriedade pode até mesmo vencer a técnica! Por isso, é necessário uma gestão de risco adequada para direcionar a técnica, independentemente qual é a técnica utilizada, seja análise técnica, tape reading, sejam outras.

As técnicas do mercado vêm e vão e, mesmo dentro do tape reading, há várias interpretações diferentes de movimento, com traders que focam mais determinados pontos. Quando a questão é técnica, o trader precisa estudar muito os principais pontos e ver o que faz sentido para ele. Se houver identificação, o ideal é buscar especialização e entender cada vez mais essa metodologia.

É importante ressaltar que somente o tape reading não é o principal elemento com o qual o trader deve se preocupar. Na verdade, o ideal é que ele aprenda e desenvolva uma técnica e uma interpretação de mercado que melhor se adapte à realidade dele. Se o tape reading fizer sentido na técnica dele, ele pode usar sem problema algum, porém, se não faz sentido dentro da operação, é melhor não usá-lo.

Gostou do nosso artigo? Agora que você já sabe o que não é tape reading, entre em contato conosco e conheça nossas soluções para otimizar seu desempenho e potencializar os lucros!