Capa blog formula
Capa blog formula

O simulador e a metáfora da Fórmula 1

Por Caroline Daher - Mulher na Bolsa

No artigo de hoje, pretendo compartilhar um pouco da minha trajetória e experiências com o simulador, discorrer sobre as vantagens e dar dicas que podem auxiliar a aprimorar a sua estratégia operacional.

Um caso de amor e ódio

O simulador da plataforma operacional é alvo de amor e ódio entre os operadores e muita gente não sabe escolher se ele é um herói ou um vilão para a atividade de trader. Pra explicar a minha visão sobre ele, trouxe uma ilustração:

Imagine que você encontre uma oportunidade de participar da modalidade mais fascinante do automobilismo – a Fórmula 1 – e que você estará correndo contra os pilotos mais experientes e nas melhores pistas do universo. Porém, existe um detalhe: você nunca esteve em um carro de Fómula 1. Você não conhece os comandos, nunca sentiu a potência do motor e nem encostou no volante.

Aliás, o volante de um carro de Fórmula 1 há muito tempo deixou de servir apenas para virar o carro e trocar a velocidade. Vários botões com inúmeras funções: falar via rádio, limitar a velocidade do carro nos boxes, mudar o equilíbrio da travagem ou até mesmo ajustar o comportamento do diferencial durante as curvas. Então, sabemos que você precisará treinar bastante.

Condições e oportunidades

  1. Você não precisa ter pressa, pois não há um prazo definido para a competição;
  2. Você poderá utilizar os carros, os pneus, o combustível, a tecnologia, os mecânicos, a navegação, a visibilidade, ou seja, tudo durante a sua preparação;
  3. Além disso, você também poderá bater em todos os carros e, ainda assim, continuar treinando – ninguém pode te tirar da pista de treino;
  4. Você poderá treinar até quando sentir que está preparado para participar da disputa real, ou seja, um verdadeiro campeonato.

Bem, acredito que diante de todas essas facilidades, seria complicado resistir a esse convite, não é mesmo? E é dessa forma que podemos entender o simulador na plataforma operacional: facilidade e oportunidade.

Eu considero o simulador a ferramenta da plataforma mais importante para treinar, na prática, o que se aprende na teoria e validar uma estratégia operacional, sem colocar o capital em risco. Porém, acredito que precisa ser utilizado com sabedoria.

Utilizando o simulador com sabedoria

Vou explicar: da mesma forma que eu desenho uma estratégia, com a quantidade de contratos que pretendo operar na conta real, os pontos que vou buscar para atingir metas e obedecer os limites estabelecidos no meu plano de voo, eu devo treinar no simulador.

De que adianta operar com 100 contratos, por exemplo, fazendo “preço médio” infinito na conta teste, sendo que o capital real não será assim? Então, se você tem o capital para operar com 5 contratos, por exemplo, é com essa quantidade que você deve treinar no simulador.

Quero compartilhar algo que aconteceu na minha trajetória: quando iniciei os meus estudos sobre operações em day trade, eu ainda estava trabalhando em outra carreira, a jurídica. Trabalhava 3 turnos diários, no serviço público e como professora universitária, e isso não me possibilitava acompanhar o pregão ao vivo.

Mas, aos domingos, eu sentava para operar replays de mercado. E com isso, eu comecei a entender na prática o que eu estava estudando na teoria. Tinha emoção? Não. Porém, foi uma fase importantíssima na minha trajetória.

Do simulador para a conta real

Assim, quando fiz a primeira transição de carreira e pedi a exoneração do serviço público, fiquei com as manhãs livres para treinar usando o simulador, acompanhando o pregão ao vivo. Esse tempo de treino somado ao tempo de replays aos fins de semana, que eu costumo chamar de HBC (horas de bund* na cadeira), me permitiu começar a operar na conta real um mês depois da decisão da transição de carreira.

Eu consegui entender o funcionamento da plataforma e do mercado, organizar a estratégia e estabelecer os limites operacionais durante o período de “teste”. O fato é que eu percebi que os meses que treinei os replays de mercado foram cruciais para acelerar o processo e o mês no simulador acompanhando o pregão ao vivo foi suficiente para me encorajar a migrar pra conta real. O resultado foi satisfatório.

É claro que eu comecei operando pequeno, com apenas 1 minicontrato. Se eu perdesse aquele dinheiro que estava alocado na corretora especificamente para as operações em day trade, não me “machucaria”.

E é dessa forma que eu sempre recomendo aos meus mentorados: quando migrar para a conta real, comece devagar, operando pequeno, e conforme os resultados positivos forem aparecendo, a mão de contratos também pode aumentar.

Vantagens do simulador

Então, quais são as principais vantagens de utilizar o simulador na atividade de trader?

  1. Você não precisa ter pressa para aprender, pois não há um prazo exato para migrar para a conta real;
  2. Você poderá utilizar os gráficos, os indicadores, as boletas, as ferramentas, as estratégias, os livros, ou seja, tudo durante a sua preparação;
  3. Além disso, você poderá tomar loss durante os seus treinos, mas não perderá dinheiro de verdade.
  4. Ninguém vai te tirar do jogo e nem vai quebrar a conta;
  5. Você pode e deve respeitar o seu próprio tempo de aprendizado e não se comparar – cada um tem o seu;
  6. Você poderá treinar até quando se sentir preparado para migrar para a conta real;
  7. Se você já possui experiência, o simulador é válido para testar novas estratégias e validar setups operacionais.

E pra finalizar, qual é, afinal, o motivo de tanta especulação por conta do simulador?

Vira-se uma chave no momento em que você entra numa operação na conta real e vê o resultado aparecendo na boleta. É completamente diferente da “sensação” do simulador. É envolvido o aspecto emocional, ou seja, o dinheiro.

Enquanto estamos na fase de treino, não há emoção, não há dinheiro envolvido. Isso mexe com a cabeça de quem não está preparado para perder ou para ganhar. Sim, acredite: muita gente não está preparada para GANHAR dinheiro.

Ter resultados positivos na atividade de trader depende do quanto você está disposto a ler, estudar e conhecer não apenas o mercado financeiro, mas principalmente, a se conhecer. Numa operação de day trade, você só deve se posicionar e entrar se tiver confiança. A confiança vem de dentro e se você não acredita, quem vai?

Aprendizados

De nada adianta consumir todos os livros de mercado financeiro, dominar todas as técnicas disponíveis, utilizar a melhor plataforma operacional, se o seu emocional não te faz uma pessoa de sucesso. Assim, o estudo e a dedicação passam também pelo autoconhecimento. O que não te contam é que ser trader vai muito além do conhecimento técnico: a gerência da emoção é o fator decisivo na hora de clicar.

É curioso como muitas pessoas vendem ilusões. Mais interessante ainda é que muitas outras pessoas compram essas ilusões: de ficar bilionário do dia pra noite; de só ganhar e nunca perder; de trabalhar 2 minutos por dia e viver de “férias”. Não queira ter resultados gigantes em curto espaço de tempo. Não caia nessa ilusão.

Aí nos questionamos: existe algo realmente fácil na vida, que do dia pra noite a pessoa começa a ganhar rios de dinheiro? Já ouviu falar de alguém que atingiu o sucesso na profissão “por acaso”? E você conhece algum bom profissional que não tenha estudado, pesquisado e praticado muito? Então, vamos falar a real: a atividade de trader não é simples, não é jogatina e não é loteria.

Você não coloca dinheiro “pra queimar” e é por essa razão que, durante o processo de aprendizado e aprimoramento a ferramenta do simulador é tão importante.

Conclusão

Então, se você é um operador iniciante que queira entender o funcionamento da plataforma e do Mercado Financeiro, ou mesmo que você já tenha uma certa experiência e deseja testar novas estratégias, o simulador é a ferramenta mais eficaz.
Lembre-se: treino é treino e campeonato é campeonato. A conta do simulador é uma preparação para a conta real. E além disso, devemos respeitar o processo e o tempo que cada um leva para entender sobre a técnica operacional e o controle emocional na atividade de trader.

Caroline Daher
de San Francisco, Califórnia para o Blog Nelogica.