View Blog 181
View Blog 181

Risco Brasil: os patamares atuais e a influência que ele gera nas operações

O Risco Brasil atualmente alcançou os menores patamares desde 2014. E muito disso se deve ao momento em que o Brasil está vivendo no ano de 2019. Mas primeiro, você sabe porque isso interfere? Ou ainda, o que de fato é o Risco Brasil e pelo o que ele é formado?

Todos os players do mercado financeiro, grandes ou não, sofrem certa interferência dele, por isso, é fundamental você dominar o assunto. Preparamos um artigo que vai fazer você entender da forma mais simplificada, o que é o Risco Brasil, o que o compõe, e a influência que ele causa no dia a dia da bolsa e a longo prazo. Confira!

Entenda o Risco Brasil

Primeiro vamos entender o que é o Risco Brasil. Por intuição, você pode achar que ele é um índice que mede o risco do nosso país. Mas na verdade, ele é um conceito composto por alguns índices. Ou seja, com o apoio deles, é possível medir essa questão.

Esse conceito é baseado na estabilidade político-econômica do país, indicando o nível de risco a investidores estrangeiros. Mas talvez, logo de imediato, não fique tão claro o porque ele tem a relevância que o mercado o atribui.

Entender o Risco Brasil pode ser menos complicado do que se imagina, isso porque de certa forma ele é bem intuitivo. Diante da sua importância, ele gera impactos em todo o tipo de operação no país, demandando atenção também por parte dos traders. Então vamos começar a entendê-lo melhor e dimensionar sua importância?

Saiba o que forma seu conceito

Os grandes players mundiais e as próprias agências de risco são os responsáveis por indicar a segurança, ou a falta dela, para um investidor que quer investir em determinado país. O Risco Brasil é formado por um grupo de índices que tem como objetivo, medir essa questão no nosso país. Conheça então quais deles têm influência:

EMBI+Br

O EMBI+Br se baseia nos títulos da dívida pública do Brasil, estudando esse rendimento e comparando-o com a rentabilidade que o tesouro americano oferece. Por ser a aplicação mais solvente que a gente encontra hoje, é usada como parâmetro.

Simplificando para você, ele basicamente corresponde à diferença do retorno entre os papéis brasileiros e os americanos, medindo a capacidade do país honrar seus compromissos financeiros. 

Esse dado é frequentemente utilizado pelo mercado, também na precificação de ativos, na definição do custo de capital, e na alta correlação que este possui com o dólar.

Credit Default Swap (CDS) do Brasil

O CDS representa um acordo bilateral de proteção (hedge), em que o investidor evita o risco de evento de crédito, ou seja, o risco de não receber seu pagamento (default). Assim, o vendedor do título oferece um prêmio, de forma a compensar o comprador do ativo por esse risco.

Embora haja diferenças entre o spread dos CDS e dos títulos, devido a fatores como liquidez e duração do contrato, a elevada correlação com o próprio EMBI+Br justifica o uso de ambos como indicadores do Risco-Brasil.

Basicamente, então, esse indicador é uma espécie de seguro feito para proteger quem aplica em algum player do mercado, permitindo o recebimento dos seus valores em caso de inadimplência.

Países com um CDS mais alto representam maiores riscos, enquanto países com um CDS mais baixo representam maior estabilidade econômica. 

Rating

O rating são as classificações que as agências de risco de todo o mundo dão para os países em nível de investimento. Há diversas dessas agências, algumas mais conceituadas, que são justamente aquelas que mais impactam a predisposição de alguém de realizar alguma operação no mercado brasileiro.

Entre as principais podemos citar a S&P (Standard & Poor’s), Moody’s Investor Services e a Fitch Ratings. As agências levam em conta os índices que já citamos, para assim, definir a confiabilidade de investimentos nos países. Mas também, usam critérios importantes como:

  • cenário político;
  • o déficit fiscal;
  • câmbio;
  • risco de mercado que está relacionado aos juros;

O rating que essas empresas fazem está diretamente relacionado à classificação do país: quanto maior, mais positivo e, naturalmente, menor é o risco.

A importância das operações estrangeiras para o Brasil

Mas claro, o que torna o conceito de Risco Brasil tão importante? Para dimensionarmos sua importância, precisamos saber o que são as operações estrangeiras e como elas atuam no país.

Bom, basicamente, elas acontecem quando investidores investem no mercado brasileiro. Entretanto, para que isso aconteça é necessária uma certa segurança por parte desse investidor, que é justamente o que eles buscam por meio desse grupo de indicadores

Quanto maior o risco de um país,aumenta a probabilidade de insolvência da dívida pública. Ou seja, pior o quadro para os investidores, especialmente os estrangeiros. Afinal, pense se você gostaria de colocar seu dinheiro em um país com um cenário de alto risco para investimentos. Então, cenários pouco favoráveis podem afastar o capital estrangeiro do nosso mercado.

Os patamares atuais do Risco Brasil

Então, sabe o CDS que eu te expliquei o que significa e que faz parte do Risco Brasil? Ele alcançou em julho de 2019 o menor nível desde setembro de 2014, ano em que o Brasil ainda possuía grau de investimento de acordo com o rating das 3 principais agências de classificação de risco, a Standard & Poor’s, Fitch e a Moody’s.

Essa percepção de risco do investidor internacional para o Brasil caiu para o menor patamar em cinco anos, aos 128 pontos. Isso se deve muito pelo bom andamento da Reforma da Previdência, pelo fato de interpretarem uma melhora e, principalmente, uma diminuição do risco quando se trata da situação fiscal do país.

Mas para melhorarmos ainda mais esse patamar, seria necessário medidas para melhorar o ambiente de negócios de modo geral, como diminuir a burocracia, e aumentar a produtividade do país.

Ainda, essa queda que obtivemos do CDS, foi a mais rápida em comparação com outros países emergentes, mas ainda nossa pontuação é alta comparando com alguns desses, como Chile e México. Chegando a conclusão de que há espaço de sobra para um cenário ainda melhor.

A importância do Risco Brasil para os traders

O Risco Brasil tem grande importância para quem atua como trader. Porque? Pensa que ele analisa uma série de índices muito relevantes para quem opera no mercado nacional, traduzindo ao investidor estrangeiro, de forma simples, a situação do mercado do país.

Há muitos estrangeiros compondo o mercado futuro e a bolsa no Brasil, e se o risco estiver alto, a tendência é o desaquecimento das operações, o que prejudica também os traders nacionais. 

Na situação de melhora, o brasileiro que opera com esses players estrangeiros é favorecido, porque as posições que ele possui podem ser favorecidas.

Ainda, com esse cenário positivo, e consequentemente com os investidores sendo atraídos, a quantidade de dólares no mercado aumenta, o que causa um efeito imediato na taxa de câmbio, bem como na bolsa de valores, que passa a ter mais negociações.

E claro, se o mercado está otimista em relação à situação política e econômica principalmente, acaba influenciando diretamente no Ibovespa, que pode seguir uma tendência de alta, a médio e longo prazo. 

Nessa lógica, a questão macroeconômica também é de extrema importância observar, já que é um ponto vélido para os traders. Um risco controlado provavelmente é sinal de um país com inflação estabilizada, gerando emprego, com cenário político tranquilo e a dívida pública da mesma forma.

Não é muito difícil entender o Risco Brasil, não é mesmo? Ele é de extrema importância para as operações, dizendo muito sobre a estabilidade econômica do país, o que influencia a atuação de traders e investidores estrangeiros.

Ficou com alguma dúvida? Pode mandar que te ajudamos! 

E que tal entender agora O que é Payroll e como e qual sua importância para o trader?