large View Blog 034
large View Blog 034

Spread bid-ask: entenda esse conceito de mercado!

O spread de mercado, também conhecido como spread bid-ask é um conceito relativamente simples, porém, muitos traders não sabem exatamente o que é e qual a importância têm para o operacional. Basicamente, spread é uma variação. Bid-ask é o equivalente ao topo do book da compra e da venda. Logo, spread bid-ask é uma variação que compara ofertas de compra e venda.

Na prática, o bid-ask determina a liquidez dos ativos, traders mais assertivos e até lucros maiores. Ou seja: faz completa diferença para o trader. Quer saber mais como aproveitar esse conceito para melhorar suas operações? Siga lendo mais esse artigo completo da Nelogica!

Entenda os termos bid, ask e spread

Bid-ask é um termo que está relacionado ao book de ofertas. Bid, significa a oferta de preço mais alto do lado da compra, também conhecido como “topo do book” das ofertas de compra. Ask é o termo que define a oferta de preço mais baixo da venda, então, é o “topo de book” da venda.

Book de Preços: Recurso que mostra as ofertas do mercado. Nessa imagem, o bid são as ofertas do preço R$ 28,32 e ask são as ofertas do preço R$ 28,33. São o topo do book.

Saber as melhores ofertas de compra ou venda é fundamental para saber quais os preços o mercado está trabalhando. Basicamente indica qual o preço que se pode comprar ou vender à mercado.

Se o trader quiser se posicionar na compra de forma imediata, precisa agredir o topo do book da venda, ou seja, o ask. O mesmo caso vale para entrar vendido: vai se agredir o topo do book da compra, ou seja, o bid. O mesmo raciocínio vale para quem quer zerar vai comprar ou vender imediatamente no respectivo topo do book.

Cálculo do spread

O conceito de spread diz respeito a uma diferença. No mundo financeiro, normalmente está vinculado ao spread bancário. O spread bancário é a diferença da taxa de juros paga e imposta pelos bancos. Para o mercado financeiro, são as diferenças entre compra e venda de um ativo. No caso específico do spread bid-ask, é a diferença entre as ofertas do topo do book de compra e venda. Então se a melhor oferta de compra é R$ 20,00 e a melhor oferta de venda é R$ 20,01, o spread é R$ 0,01.

Matematicamente: Spread = Preço da melhor oferta de venda – Preços da melhor oferta de compra.

Quanto menor é a diferença entre as ofertas de compra e venda, se diz que o spread está “curto”. Se a diferença é grande, se fala que o spread está “largo”. A liquidez de um ativo depende diretamente desse fator.

Spread bid-ask e a liquidez

Um ativo é considerado líquido quando basicamente quatro parâmetros são atendidos:

    • Há muita negociação no ativo.
    • O ativo tem alto volume de ofertas no book.
    • As ofertas são rapidamente repostas quando ocorrem agressões.
  • O spread do ativo é curto.

Esse último ponto é crucial para definir se um ativo tem bom nível de liquidez. Sabendo que o spread é curto, o player sabe que pode realizar compras e vendas sempre com a alta probabilidade de ter saída para seus trades. Ou seja: se comprou PETR4 no preço R$ 27,00 e precisar imediatamente sair do trade, sabe que em circunstâncias normais vai conseguir sair a algum preço próximo de R$ 26,99.

Em outro caso, se comprar a R$ 27.00 e o mercado subir, sabe que vai ter vendedor logo ali na frente. Assim, o preço sobe não apenas pela agressão do mercado, mas sendo “defendido” por ofertas. Se no mesmo caso, o trader tivesse comprado a R$ 27,00 e o mercado subisse até o R$ 27,10, mas a melhor oferta de compra fosse no preço R$ 26,95, então a zerada resultaria em prejuízo.

Esse é um problema de ativos que não tem boa liquidez. Por mais que um ativo suba ou desça, o que vai garantir saída para seus trades é que haja ofertas de compra e venda. Um ativo que sobe sem que ofertas de compra sigam o preço pode cair muito rápido, pois não há defesa de preço. O mesmo caso vale venda: se um ativo desce sem que haja ofertas de venda seguindo o preço, qualquer agressão de compra pode levar o preço para cima novamente.

Diferenças para o Day-Trade

O spread é ainda mais especial para day-traders. Para eles, pequenas variações do mercado fazem muitas diferença. Então, 3 centavos ou 15 pontos (no mini-índice) podem ser cruciais para a operação. Então para operar o dia a dia do day-trade, é preciso buscar ativos líquidos, que normalmente são ativos com spread mínimo: ações líquidas (1 centavo), dólar/minidólar futuro (0,5 ponto de spread) e mini-índice futuro (5 pontos).

Para algumas operações de swing-trade, o spread ainda é muito importante. Para o position trader, o spread tem pouca influência, visto que é um perfil de operador que busca alvos muitos longos.

Spread bid-ask e a volatilidade do mercado

A alta volatilidade do mercado é um fator que pode modificar temporariamente o spread bid-ask. Podem ser momentos pontuais ou fases que o mercado pode passar. Os momentos pontuais são normalmente quando ocorre alguma breaking news ou ocorre o lançamento de um indicador econômico importante. As fases do mercado são quando grande mudanças macroeconômicas afetam profundamente o mercado,

Nos dois casos, o trader deve ter muito cuidado para operar. Mesmo que tenha experiência, é preciso saber que o mercado está atípico, então as operações podem não dar certo, especialmente as operações curtas.

Um exemplo muito comum ocorre em momentos de payroll. Por ser um indicador econômico muito importante, o spread do dólar futuro muitas vezes é maior que 0,5 ponto nesse momento. Nesse caso, uma compra à mercado que der errada pode gerar um stop bem maior do que o previsto.

Market Makers e HFT’s: Aliados do spread

A Bolsa remunera grandes players para que preencham o book de ofertas. Isso acontece para estimular que novos traders entrem no mercado. Quanto menor o spread do ativo e mais líquido ele é, melhor serve para operações.

Os market makers (formadores de mercado) são os participantes pagos pela Bolsa para realizar esse serviço. Mantendo o spread curto, fazem que determinados ativos ficarem atrativos operacionalmente falando.

Além deles, os HFT’s (robôs de alta frequência) realizam operações de arbitragem, sempre trabalhando em cima das melhores ofertas de compra e venda. Assim, sempre mantêm um bom volume de ofertas no topo de book da compra e da venda.

Robôs no Dólar Futuro, enviando ordens de lote mínimo (5 contratos) próximos ao spread.

Diferentemente que muitos traders pensam, os robôs são aliados. São eles que dão boas saídas para os outros traders. Além disso, seguem agressões de grandes players, pressionando e dando fluxo aos preços. Ou seja, é mais um aliado nas tendências do mercado.

Como o trader pode utilizar o spread bid-ask?

O trader é o especulador de mercado. Para o especulador, o preço é fundamental. Saber onde estão as melhores ofertas e realizar operações em cima delas é peça-chave do sucesso no trading.

Para os traders, a entrada da operação está muito condicionada ao spread. Isso ocorre exatamente pelo preço: entrar atrasado em uma operação é ruim. Se posicionar no preço certo e na hora certa é o desafio de todo trader.

Quando surge uma oportunidade no mercado, qual a melhor opção: tentar se posicionar no melhor preço possível ou entrar à mercado? Essa é uma dúvida em que saber o spread do mercado ajuda.

Entrando à mercado

Quando o operador entra à mercado em momentos que o spread é desfavorável, ele busca uma oportunidade no ativo que o custo é alto se der errado. Exatamente por ele comprar a um preço muito alto e se precisar vender, vai vender a um preço muito baixo. O mesmo caso vale para a venda.  Quando a entrada da operação ocorre a um preço muito abaixo do previsto, pode ficar sem uma saída favorável.

Por isso, em momentos de alta volatilidade, deve-se ter cuidado de entrar à mercado. É preciso ficar muito atento ao spread para não entrar a um preço desfavorável. Mesmo que o mercado esteja em alta, não adianta comprar a um preço alto demais! Na ânsia de querer operar, muitos erram ao operar em momentos de lançamento de indicadores econômicos e breaking news.

O spread em um ativo líquido como a VALE3, normalmente é R$ 0,01. Nesse momento, estava R$ 0,05. Ou seja: é um momento que o spread não estava favorável (alta volatilidade, abertura de mercado, etc).

Nesse caso, utilizar ordens limitadas faz mais sentido. Mesmo que a execução da ordem automática não ocorra, é preciso medir os riscos operacionais. Não enviar ordens pela emoção é um tipo de gerenciamento de risco.

Nesse artigo tratamos sobre o conceito de spread bid-ask, qual a influência dele no operacional dos traders e como ele pode ser utilizado como referência no tipo de ordens encaminhadas. Tratamos bastante sobre a relação entre volatilidade de mercado e notícias. Quer entender por que e como as notícias afetam o seu operacional? Então leia sobre o TC News Pro, um conjunto de ferramentas que disponibiliza as principais notícias do mundo financeiro!